Paraguai exige do Brasil a volta do “Cristão”, trazido como troféu de guerra

18/04/2013 – 03h04
ISABEL FLECK
ENVIADA ESPECIAL A ASSUNÇÃO

A Guerra do Paraguai ainda não acabou no imaginário dos paraguaios.
A última batalha entre as tropas locais e a Tríplice Aliança (Brasil, Argentina e Uruguai) ocorreu em 1870, mas os rancores provocados pela derrota, que levou o país vizinho a uma ruína cujos efeitos ainda estão presentes, continuam vivos para a maioria da população.
O governo paraguaio exige que o Brasil devolva um combalido sobrevivente: o canhão El Cristiano (O Cristão), considerado um herói paraguaio, mas que talvez nunca tenha feito um disparo.
O Cristão, que ganhou esse nome por ter sido construído a partir de metal fundido de sinos de igrejas de Assunção, reaparece na política paraguaia toda vez que as relações com o Brasil não andam bem –como agora.

Canon Cristiano

Depois de o Paraguai ter sido suspenso do Mercosul por causa do impeachment-relâmpago de Fernando Lugo no ano passado, o presidente Federico Franco voltou ao tema em 1º de março, data em que o país homenageia os soldados caídos na maior guerra da história da América do Sul (1864-70).

Estima-se que 300 mil paraguaios e 50 mil brasileiros tenham morrido.
“Não haverá paz nem entre os soldados nem entre a sociedade paraguaia enquanto não for recuperado o canhão Cristão”, disse Franco na ocasião.
No próximo domingo, o Paraguai elege seu novo presidente e deve normalizar os laços com o Mercosul. Mas o canhão deve continuar sendo uma mancha na relação com os vizinhos.
Trazido ao Brasil logo após o fim do conflito, o armamento foi instalado no então arsenal do Exército, no Rio de Janeiro, de onde nunca saiu.
O local foi transformado no Museu Histórico Nacional, e o troféu de guerra segue exposto no pátio aberto.
Franco já havia exigido a devolução do Cristão em 2010, ainda como vice de Lugo. Em resposta, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a pedir ao Ministério da Cultura (MinC) que providenciasse o retorno do canhão à sua pátria.
Mas a ideia despertou a ira de historiadores e militares brasileiros. “Troféus de guerra são emblemáticos não só para um país, mas para todos que participaram dela. O canhão faz parte da história do Brasil também”, diz o pesquisador Francisco Doratioto, autor do livro “Maldita Guerra”, sobre o confronto com o Paraguai. O assunto acabou engavetado por Dilma.
Procurado pela Folha, o MinC sugeriu que a devolução está sendo reconsiderada, para que o canhão faça parte de “ações de cooperação de interesse para os dois países”, como a criação de um museu.
Como o bem faz parte do patrimônio histórico brasileiro, teria de passar por um processo de “destombamento” –uma decisão que, em última instância, cabe à presidente da República.
Para Doratioto, o governo paraguaio só pode reivindicar o Cristão se entregar ao Brasil embarcações como a Anhambay –capturada na invasão de Mato Grosso.
“Num processo de integração da América do Sul, é preciso começar a reviver o passado e pedir de volta todos os troféus?”, indaga.
O mesmo questionamento é feito pelo general Aureliano de Moura, presidente do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil. “Tanto o canhão como navios custaram sangue dos nossos soldados e dos deles também. Não é lógico devolvê-lo.”
O Cristão é emblemático no Paraguai por ter sido levado para a Batalha de Curupaiti, de 22 de setembro de 1866, maior vitória do país contra a Tríplice Aliança.
Segundo os relatos paraguaios, o canhão, colocado no Forte de Curupaiti, foi decisivo para conter o avanço das tropas brasileiras e argentinas rumo ao Forte de Humaitá, que controlava o acesso a Assunção.
No Brasil, há quem diga que o Cristão apenas assistiu ao triunfo paraguaio naquele dia. “Ele nunca disparou uma bala, porque os paraguaios fizeram uma estrutura interna tão moderna para a época que eles próprios não tiveram condições de usar”, afirma Vera Tostes, diretora do Museu Histórico Nacional. Se for devolvido, o canhão não vai mudar em nada o cenário de crise diplomática com o Brasil por causa de Lugo e do Mercosul. Mas a guerra estaria mais perto do fim do outro lado do rio.

Anúncios

Sobre paraguaiteete

O Núcleo Cultural Guarani “Paraguay Teete” nasceu em junho de 2009 em São Paulo, Brasil, da mão de admiradores da cultura guarani residentes nessa cidade para difundir a rica cultura da República do Paraguai. Dentre os principais objetivos do Núcleo, podemos destacar: 1. Gerar uma imagem diferente daquela que muitos brasileiros têm do país (como por exemplo, a ideia de que o Paraguai se reduz a Ciudad del Este) por meios de eventos culturais tais como apresentações de documentários, palestras, gastronomia, música e cursos. 2. Fortalecer a identidade cultural de paraguaios e descendentes residentes no Brasil por meio da difusão permanente da cultura e da língua Guarani. 3. Proporcionar espaços e contatos para os profissionais paraguaios das diferentes modalidades artísticas, dando-lhes a possibilidade de ter acesso ao rico circuito cultural brasileiro e, em contrapartida, oferecer a mesma oportunidade para brasileiros que queiram conhecer ou desfrutar da autêntica cultura paraguaia. 4. Defender a dignidade, a imagem e a história do Paraguai e dos seus descendentes perante situações discriminatórias, tratos pejorativos, piadas e chacotas que a mídia do Brasil vem produzindo constantemente. 5. Acionar a Polícia Federal contra criminoso que usam a internet para caluniar com comentários racistas que violem a Lei Nº 7.716/89: Art. 1° diz “Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. Assim como o Art. 20° que diz “Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. El Núcleo en castellano: El Núcleo Cultural Guaraní "Paraguay Teete" nació en junio de 2009 en la ciudad de São Paulo, Brasil, de la mano de admiradores de la cultura guarani residentes en esta ciudad para difundir la rica cultura de la República del Paraguay. Entre los objetivos se encuentran: 1. Generar una imagen diferente de la que los brasileños tienen del país (entre otras ideas de que piensan que Paraguay se reduce a Ciudad del Este). 2. Fortalecer la identidad cultural del paraguayo y de sus desendientes residentes en el Brasil a través de la difusión permanente de la Cultura Guaraní resaltando siempre el idioma Guaraní. 3. Proporcionar espacios y contactos para los profesionales de las diferentes modalidades artísticas, dándoles la posibilidad de acceder al rico circuito cultural brasileño y a
Esse post foi publicado em Prensa / Imprensa e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Paraguai exige do Brasil a volta do “Cristão”, trazido como troféu de guerra

  1. Jacinto leite disse:

    E dificil de entender a ideologia destes historiadores y dos militares Brasileiros que se opoem a devoluçao desse instrumento que so serviu para ferir e dilacerar a vida de seres humanos. Do mesmo modo nao entendo o interesse do governo do Paraguay em querer de volta esse CANHAO. Penso que os historiadores e militares deveriam procurar entender o sentimento que envolve o povo Paraguaio que estao sendo manipulados erroneamente segundo meu ponto de vista por esses politicos ignorantes para despertar novamente o odio entre as pessoas. Os militares arrogantes e prepotentes so servem para uma coisa se e que se pode chamar de servir ..( servem so para vitimar pessoas, na maior parte das vezes, crianças, mulheres e velhos que nao tem como se defender) grande honra ter esse canhao de porcaria ali nos patios como lembrança do assassinato de todo um povo) Se os gorvernantes de ambos paises forem sabios, o governante do Paraguay nao iria requerer de volta esse trofeu, mas ja que requereu o governantes Brasileiros se fossem inteligentes o devolveriam..mas como somos governados por ignorantes vao usar isso como instrumento para propalar o odio e o nacionalismo barato que so serve para os interesses desses corruptos assasinos que historicamente nunca se importaram como seu povo..os 4 paises envolvidos nessa maldita guerra so demonstraram e continuam a demonstrar que o Nacionalismo e o cancer da sociedade humana que nem a propria religiao tem o poder de eliminar..tanto que Catolicos mataram catolicos e protestantes contra protestantes nas guerras…quem lucra com as guerras e o nacionalismo sao os fabricantes de armas e os politicos..os asnos vestidos de verde olivo vao ao matadouro ( campo de batalha cantando) enquanto que esses que inventam as guerras fumam o melhor charuto,melhores bebidas e melhores mulheres…amigos se me permitem eu queria que esse canhao colocassem entre as coxas dos militares e politicos de ambos governos e deixem o povo viver em paz comendo do suor do seu trabalho honesto…militar e politicos= PARASITOS,YATEVUS,SANGUIJUELAS,MBOPIS E TODO TIPO DE SINONIMOS DE DEGENERACION Y PERVERCION HUMANA. Dejen de joder por causa de ese maldito canon de miercoles . Estan queriendo despertar nuevamente un otro genocidio? acaso ya no se dieron cuenta que la triple alianza esta en vigor? cambada de pelotudos yo quiero ver mi generacion florecer en una sociedad amante de la libertad..donde no existan mas los militares y politicos una sociedad governada por valores teocraticos donde exista solo un pensamiento UNO..el amar al projimo como hasi mismo..se que con estos historiadores, militares y politicos burros que existen nunca veremos ese dia llegar..Abrazos a todos los que estan cansados de estas payasadas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s