Legado de uma antropóloga eslovena

Durante 45 silenciosos anos, a antropóloga eslovena Branislava Susnik trabalhou no Paraguai para traçar a etnohistória dos indígenas guaranis e chaquenhos. Susnik deixou como legado mais de 70 publicações e um museu etnológico em Assunção.

Susnik
Branislava Susnik em companhia de um nativo. / etno-muzej.si

O legado de Susnik é reconhecido internacionalmente por seu aporte à antropologia etnográfica. Contudo, ela é pouco conhecida neste país, onde viveu e trabalhou por 45 anos.

Susnik nasceu em Medvode, cidade localizada na atual Eslovênia, e realizou seus estudos superiores na Europa. Aos 27 anos, partiu em direção à Argentina, como muitos outros que viviam na ex-Iugoslávia após a Segunda Guerra Mundial.

Em Formosa, Argentina, Susnik escreveu seu primeiro trabalho linguístico no continente americano. A fins de 1951, chegou ao Paraguai a pedido do Dr. Andrés Barbero, cientista paraguaio da área de Humanas, para continuar com os trabalhos do etnólogo alemão Dr. Max Schmidt no Museu Etnográfico Dr. Andrés Barbero, de Assunção, segundo o portal oficial do museu.

“No anos 1950, (Susnik) encontrou paz e o verdadeiro objeto de seu trabalho científico no Paraguai”, relatou o etnólogo Blaz Telban em uma publicação divulgada pelo Museu Etnográfico da Eslovênia.

No Paraguai, Susnik foi solicitada a reorganizar e recuperar as coleções. “Ela organizou este museu tal como se vê hoje”, explicou a atual diretora, Adelina Pusineri, em referência ao museu, que hoje está localizado na rua España 217, da cidade de Assunção.

Em 1954, Susnik iniciou seus trabalhos de campo, que, no total, foram 17, e resultaram em mais de 70 publicações, que abarcaram a temática linguística e etnohistórica, entre outros. Suas viagens e estudos levaram à luz a história da conquista espanhola e sua relação com os indígenas, feitos desconhecidos até então.

“Ela trabalhou por 45 anos no Paraguai, em épocas que ainda não se adentrava tanto em temas indígenas e em temas de antropologia. Como mulher, foi pioneira”, assegurou Pusineri.

Susnik faleceu em 28 de abril de 1996 e, desde então, é lembrada cada ano com os prêmios “Doutora Branislava Susnik” conferidos pela Fundação “A Piedade”, administradora do museu. Uma rua no micro-centro da capital leva seu nome, mas são poucos os paraguaios que se recordam de seu valioso aporte ao pensamento científico do país.
Fonte: Mayra Rivarola. ABC Color, 07 de junho de 2013. Tradução livre.
Link: http://www.abc.com.py/especiales/fin-de-semana/legado-de-una-antropologa-eslovena-581354.html?desktop=true

Anúncios

Sobre paraguaiteete

O Núcleo Cultural Guarani “Paraguay Teete” nasceu em junho de 2009 em São Paulo, Brasil, da mão de admiradores da cultura guarani residentes nessa cidade para difundir a rica cultura da República do Paraguai. Dentre os principais objetivos do Núcleo, podemos destacar: 1. Gerar uma imagem diferente daquela que muitos brasileiros têm do país (como por exemplo, a ideia de que o Paraguai se reduz a Ciudad del Este) por meios de eventos culturais tais como apresentações de documentários, palestras, gastronomia, música e cursos. 2. Fortalecer a identidade cultural de paraguaios e descendentes residentes no Brasil por meio da difusão permanente da cultura e da língua Guarani. 3. Proporcionar espaços e contatos para os profissionais paraguaios das diferentes modalidades artísticas, dando-lhes a possibilidade de ter acesso ao rico circuito cultural brasileiro e, em contrapartida, oferecer a mesma oportunidade para brasileiros que queiram conhecer ou desfrutar da autêntica cultura paraguaia. 4. Defender a dignidade, a imagem e a história do Paraguai e dos seus descendentes perante situações discriminatórias, tratos pejorativos, piadas e chacotas que a mídia do Brasil vem produzindo constantemente. 5. Acionar a Polícia Federal contra criminoso que usam a internet para caluniar com comentários racistas que violem a Lei Nº 7.716/89: Art. 1° diz “Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. Assim como o Art. 20° que diz “Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. El Núcleo en castellano: El Núcleo Cultural Guaraní "Paraguay Teete" nació en junio de 2009 en la ciudad de São Paulo, Brasil, de la mano de admiradores de la cultura guarani residentes en esta ciudad para difundir la rica cultura de la República del Paraguay. Entre los objetivos se encuentran: 1. Generar una imagen diferente de la que los brasileños tienen del país (entre otras ideas de que piensan que Paraguay se reduce a Ciudad del Este). 2. Fortalecer la identidad cultural del paraguayo y de sus desendientes residentes en el Brasil a través de la difusión permanente de la Cultura Guaraní resaltando siempre el idioma Guaraní. 3. Proporcionar espacios y contactos para los profesionales de las diferentes modalidades artísticas, dándoles la posibilidad de acceder al rico circuito cultural brasileño y a
Esse post foi publicado em Cultura, Prensa / Imprensa e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s