Assunção vibra com chegada de estudantes brasileiros de pós-graduação

PARAGUAI EDUCAÇÃO
Assunção, 27 jul (EFE).- Como a cada mês de julho, a cidade de Assunção vibra ao ritmo brasileiro com a presença em massa de estudantes do país vizinho, atraídos pelos baixos custos dos cursos “intensivos” de mestrado e pós-graduação oferecidos por meia centena de universidades paraguaias.
Os brasileiros fogem da oferta limitada das universidades públicas do Brasil e do alto custo de estudar nas particulares, que chegam a custar R$ 1.500 por mês.

Estudiantes

Os cursos podem ser completados em três períodos durante os meses de julho e janeiro, com aulas de segunda-feira a sábado, em três turnos.
As universidades paraguaias escolhem estes meses por coincidir com o período de férias no Brasil. Outro fator que atrai os brasileiros é a flexibilidade das datas: assim eles não têm que estudar durante um ano seguido, o que os obrigaria a renunciar a seus empregos.
“A parte da tese se desenvolve quando já estão em seu país, com acompanhamento eletrônico e tutorias à distância”, explicou à Agência Efe o diretor de pós-graduação e vice-reitor da Universidade Autônoma de Assunção, Juan de Deus Garbett.

Garbett destacou que o primeiro motivo pelo qual tantos brasileiros vão ao Paraguai é pelo ‘credencialismo’. “Buscam um título de pós-graduação que a oferta brasileira não consegue cobrir; toda a oferta de pós que há no Brasil não satisfaz a demanda”.
E acrescentou que no Brasil é necessário uma pós-graduação para exercer a docência, por exemplo, e por isso muitos professores de Ensino Fundamental e Médio procuram o Paraguai.

Os preços dos cursos intensivos de mestrado na Universidade Autônoma rondam os R$ 10.500 e os de doutorado R$ 14.375 e podem ser pagos em 25 cotas, segundo o vice-reitor.
Garbett disse que a qualidade dos docentes é outro atrativo, já que entre eles “há espanhóis, chilenos, brasileiros, uruguaios e certamente paraguaios”, destacando que, embora os estudantes brasileiros sejam a maioria arrasadora, também vêm ao Paraguai argentinos, colombianos e angolanos.

José Eduardo, estudante brasileiro de 40 anos que veio de São Paulo para fazer um mestrado em Administração de Empresas na Universidade de San Lorenzo, disse à Efe que “no Brasil é muito mais caro e é difícil ter acesso à universidade pública”.
Eduardo assegurou que é mais negócio para ele pagar as viagens até Assunção, incluindo despesas de alojamento, que cursar um mestrado em uma universidade particular do Brasil.
Durante o mês de julho, no centro de Assunção se escuta um bulício estranho: entre o som comum do espanhol e do guarani surgem por todas partes expressões em português.

As lojas, restaurantes e discotecas se enchem de brasileiros.
A rua Palma, que concentra a maior parte da oferta culinária do centro, reúne este mês centenas de turistas-estudantes que aproveitam os preços mais baixos de comida, roupa e produtos eletrônicos do Paraguai para fazer compras.
Este fenômeno não só beneficia as universidades e os estudantes, mas também os professores, o comércio e todo o setor de serviços da cidade.
“Eles (os brasileiros) movimentam toda a economia nesses dois períodos, Assunção muda, os hotéis enchem, os restaurantes, em plena noite vão às compras…”, descreveu o vice-reitor da Autônoma.

Um professor dessa universidade, o cubano Frank Cruz, reconheceu à Efe que para sua instituição “é uma época importante economicamente”.
“Um curso de graduação paga 46.000 guaranis (cerca de US$ 10) a hora, enquanto um de pós paga 120.000 guaranis (cerca de US$ 26) a hora”, disse Cruz.
As lojas da região já conhecem e cuidam, com ofertas especiais e cartazes em português, dos clientes brasileiros, que sabem que voltarão seis meses mais tarde.

“Nesta época, nós cuidamos dos brasileiros e nos dedicamos exclusivamente a eles. Eles nos beneficiam totalmente porque chegam justamente depois da queda das vendas de abril e maio e ficam por duas ou três semanas”, declarou à Efe Ricardo Brandon Fidanza, dono de um hotel no centro de Assunção.

Fonte: http://www.efe.com/efe/noticias/brasil/educacao/assun-vibra-com-chegada-estudantes-brasileiros-pos-gradua/3/30341/2093350

Anúncios

Sobre paraguaiteete

O Núcleo Cultural Guarani “Paraguay Teete” nasceu em junho de 2009 em São Paulo, Brasil, da mão de admiradores da cultura guarani residentes nessa cidade para difundir a rica cultura da República do Paraguai. Dentre os principais objetivos do Núcleo, podemos destacar: 1. Gerar uma imagem diferente daquela que muitos brasileiros têm do país (como por exemplo, a ideia de que o Paraguai se reduz a Ciudad del Este) por meios de eventos culturais tais como apresentações de documentários, palestras, gastronomia, música e cursos. 2. Fortalecer a identidade cultural de paraguaios e descendentes residentes no Brasil por meio da difusão permanente da cultura e da língua Guarani. 3. Proporcionar espaços e contatos para os profissionais paraguaios das diferentes modalidades artísticas, dando-lhes a possibilidade de ter acesso ao rico circuito cultural brasileiro e, em contrapartida, oferecer a mesma oportunidade para brasileiros que queiram conhecer ou desfrutar da autêntica cultura paraguaia. 4. Defender a dignidade, a imagem e a história do Paraguai e dos seus descendentes perante situações discriminatórias, tratos pejorativos, piadas e chacotas que a mídia do Brasil vem produzindo constantemente. 5. Acionar a Polícia Federal contra criminoso que usam a internet para caluniar com comentários racistas que violem a Lei Nº 7.716/89: Art. 1° diz “Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. Assim como o Art. 20° que diz “Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. El Núcleo en castellano: El Núcleo Cultural Guaraní "Paraguay Teete" nació en junio de 2009 en la ciudad de São Paulo, Brasil, de la mano de admiradores de la cultura guarani residentes en esta ciudad para difundir la rica cultura de la República del Paraguay. Entre los objetivos se encuentran: 1. Generar una imagen diferente de la que los brasileños tienen del país (entre otras ideas de que piensan que Paraguay se reduce a Ciudad del Este). 2. Fortalecer la identidad cultural del paraguayo y de sus desendientes residentes en el Brasil a través de la difusión permanente de la Cultura Guaraní resaltando siempre el idioma Guaraní. 3. Proporcionar espacios y contactos para los profesionales de las diferentes modalidades artísticas, dándoles la posibilidad de acceder al rico circuito cultural brasileño y a
Esse post foi publicado em Prensa / Imprensa e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s