O guarani completa 70 anos

Guarani

A moeda de nosso país, o guarani, completa nesse sábado (05 de outubro) 70 anos. Foi implementada após um decreto presidencial de Higinio Morínigo, presidente paraguaio em 1943. É a segunda mais antiga da América do Sul.

Fonte: ABC Color, 05 de outubro de 2013. Tradução livre.
Link: http://www.abc.com.py/nacionales/el-guarani-cumple-70-anos-624986.html

O guarani nasce em 5 de outubro de 1943, com o decreto número 655, assinado pelo então presidente do Paraguai, Higinio Morínigo, que foi mandatário entre 1940 e 1948. Surgiu como sucessor do peso paraguaio.

Nossa moeda é a segunda mais antiga da América do Sul. A moeda mais velha é o peso colombiano, vigente desde 1810.

download (3)

Igual ao guarani, o peso colombiano enfrenta uma fase de reconversão. Atualmente, um projeto foi remetido ao Executivo. Através deste, planeja-se eliminar os zeros em nossa moeda, prevendo-se a criação de um “novo guarani”.

O Banco Central do Paraguai (BCP) emitirá uma série de moedas comemorativas em ouro e prata para recordar os 70 anos da criação do guarani como símbolo monetário do Paraguai.

A entidade monetária prevê emitir ao menos 1.000 unidades de moedas, similares às que emitiu no bicentenário da República. As moedas, que já estão nos cofres do BCP, estarão à venda ao público após a aprovação de sua circulação e custos por parte do diretório, o que pode acontecer já nos próximos dias.

download (2)

Também a empresa Microsoft, após anos, colocou à disposição o símbolo do guarani (₲) no Microsoft Word. Isso se faz com as teclas 20b2 e pressionando Alt e a tecla X. Está disponível com o novo service pack do Windows 7.

Recordamos um artigo remetido ao nosso diário sobre a reconversão do guarani. O mesmo foi uma colaboração de Óscar Estigarribia, um paraguaio residente nos Estados Unidos, que recordou o processo de outras moedas na América do Sul.

O recurso de eliminar zeros de uma moeda tem sido aplicado há décadas por um grande número de países, umas vezes com êxito, outras com rotundos fracassos. Desde 1969, vários países se viram forçados a utilizar esta solução – mais precisamente em 71 ocasiões.

Este recurso foi utilizado pela primeira vez na Alemanha, logo após o final da Segunda Guerra Mundial, quando o país experimentou uma terrível inflação pós-guerra com uma economia destroçada. Os países que levam a dianteira no uso deste recurso estão em nossa zona do Mercosul, sendo eles Argentina (4 vezes, eliminando um total de oito zeros) e Brasil (seis vezes, eliminando 18 zeros e rebatizando a moeda oito vezes – Cruzeiro, Novo Cruzeiro, Cruzado, Novo Cruzado, Real, etc.).

5

É importante mencionar que este recurso é normalmente utilizado como parte de um completo plano de medidas monetárias e econômicas, desenhado para controlar um processo inflacionário, reativar a economia e restabelecer a confiança na moeda, problemas inexistentes no Paraguai.

Alguns países já utilizaram o recurso sem acompanhá-lo das necessárias medidas econômicas e monetárias, especulando somente com o intuito de se beneficiar do fator psicológico da eliminação de zeros, algo que tem resultado em grandes fracassos.

Eliminar zeros de uma moeda em si não é ruim, mas depende muito das circunstâncias e do momento econômico e político de um país para que os efeitos sejam positivos, ou, pelo menos, não sejam negativos. Hoje, no Paraguai, o objetivo seria mais formal do que de fundo, já que não existem razões econômicas para recorrer a esta ferramenta. Os efeitos à vista seriam facilitar as operações financeiras e contáveis, diminuir os custos operativos de manuseio de cédulas (ao reduzir seu volume físico) e o volume para o transporte de fortunas e operações em caixas automáticos, etc., que, no entanto, já são razões de peso para promover a aplicação deste recurso.

images (8)

Por outro lado, é muito importante considerar o fator psicológico, ou seja, como a população percebe uma situação como esta e como a interpreta, algo bastante arriscado. Se o governo goza de credibilidade, o plano é amplamente difundido e comentando e se educa a população, é muito provável que o efeito seja positivo, reforçando a confiança na moeda; porém, devemos lembrar que a população paraguaia não conhece este tipo de medida, já que a introdução do guarani data de 1944, seguindo vigente, sem mudanças e extremamente estável se comparado com outras moedas regionais, por 70 anos – Dólar’í, como era conhecido nas décadas de 60 e 70 –, um grande feito para nosso país.

O problema que vejo é que, se a população não confia no governo, pode interpretar a medida como um passo prévio a uma desvalorização importante, já que, através dela, perder-se-ia a confiança local no guarani, acarretando na óbvia busca dos poupadores por moedas fortes, o que de certo depreciaria nossa moeda, com um efeito talvez positivo para a economia, considerando que isso favoreceria as exportações. No entanto, isso certamente é discutível em uma economia que depende tão fortemente das importações, algo que devemos mudar se pretendemos ter crescimento econômico e estabilidade em longo prazo.

images (2)

Para muitos setores da população, o governo de Federico Franco (N.d.R: o artículo foi escrito em fevereiro de 2013, antes da eleição e assunção de Cartes, e dentro do contexto de aprovação do projeto de lei de modificação da meda no Executivo) não tem legitimidade e obviamente não conta com a popularidade necessária para implementar este tipo de medida. Eu preferiria que isso fosse arquivado no momento, para que o próximo governo estudasse a proposta de forma ampla e minuciosa. Assim, se as análises concluíssem que os benefícios seriam maiores do que os riscos, e o governo contasse com a necessária popularidade e o fizesse corretamente, que fosse implementada a medida, caso as condições econômicas fossem oportunas.

Guarani
Em dezembro de 1997, o Banco Central do Paraguai lançou a Série B das cédulas de 50.000 guaranis. Logo foram retiradas de circulação e redesenhadas. / Juan Ramón Avila, ABC Color

Anúncios

Sobre paraguaiteete

O Núcleo Cultural Guarani “Paraguay Teete” nasceu em junho de 2009 em São Paulo, Brasil, da mão de admiradores da cultura guarani residentes nessa cidade para difundir a rica cultura da República do Paraguai. Dentre os principais objetivos do Núcleo, podemos destacar: 1. Gerar uma imagem diferente daquela que muitos brasileiros têm do país (como por exemplo, a ideia de que o Paraguai se reduz a Ciudad del Este) por meios de eventos culturais tais como apresentações de documentários, palestras, gastronomia, música e cursos. 2. Fortalecer a identidade cultural de paraguaios e descendentes residentes no Brasil por meio da difusão permanente da cultura e da língua Guarani. 3. Proporcionar espaços e contatos para os profissionais paraguaios das diferentes modalidades artísticas, dando-lhes a possibilidade de ter acesso ao rico circuito cultural brasileiro e, em contrapartida, oferecer a mesma oportunidade para brasileiros que queiram conhecer ou desfrutar da autêntica cultura paraguaia. 4. Defender a dignidade, a imagem e a história do Paraguai e dos seus descendentes perante situações discriminatórias, tratos pejorativos, piadas e chacotas que a mídia do Brasil vem produzindo constantemente. 5. Acionar a Polícia Federal contra criminoso que usam a internet para caluniar com comentários racistas que violem a Lei Nº 7.716/89: Art. 1° diz “Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. Assim como o Art. 20° que diz “Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. El Núcleo en castellano: El Núcleo Cultural Guaraní "Paraguay Teete" nació en junio de 2009 en la ciudad de São Paulo, Brasil, de la mano de admiradores de la cultura guarani residentes en esta ciudad para difundir la rica cultura de la República del Paraguay. Entre los objetivos se encuentran: 1. Generar una imagen diferente de la que los brasileños tienen del país (entre otras ideas de que piensan que Paraguay se reduce a Ciudad del Este). 2. Fortalecer la identidad cultural del paraguayo y de sus desendientes residentes en el Brasil a través de la difusión permanente de la Cultura Guaraní resaltando siempre el idioma Guaraní. 3. Proporcionar espacios y contactos para los profesionales de las diferentes modalidades artísticas, dándoles la posibilidad de acceder al rico circuito cultural brasileño y a
Esse post foi publicado em Prensa / Imprensa e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O guarani completa 70 anos

  1. MARCIANA VICENTA BOGARIN DE AVALOS disse:

    Amei o site, e tirou minhas dúvidas. Obrigada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s