Celso Franco e Lali González: os dois rostos de 7 Caixas

Fonte: Sergio Marcio (Aldeia Cultural), 9 de maio de 2014.
Link: http://www.aldeiacultural.net/2014/05/09/celsofrancolaligonzalez/

7 caixas
Os atores interpretam Vítor e Liz no filme l Fotos: Arquivo/Martín Crespo

Desde que estreou em agosto de 2012, o filme paraguaio 7 Caixas, atualmente em cartaz no Brasil, não se cansa de fazer história. Aos prêmios Cinema em Construção e Euskaltel da Juventude, conquistados em San Sebastián (Espanha) um ano antes do seu lançamento, se somaram depois os reconhecimentos nos festivais de Mar del Plata (Argentina), Cockatoo Island (Austrália), Porto Alegre (Brasil), Biarritz (França) e Santa Cruz de la Sierra (Bolívia), entre outros.

Como já foi comentado em uma resenha anterior sobre o filme, um dos grandes méritos do primeiro longa de Juan Carlos Maneglia e Tana Schémbori é se apoiar em um extraordinária dupla protagônica, formada por Celso Franco e Lali González. São eles que levam sobre seus ombros o peso dramático da maior parte da história, apresentando também uma química impressionante e dotando de muita verossimilhança seus personagens.

Vítor, o carregador que tem a missão de transportar sete caixas pelo Mercado 4, é interpretado por Franco, que há poucos anos não tinha claro se seguir a carreira artística, já que sua família não via com bons olhos que se dedicasse a uma profissão considerada ‘difícil’ no Paraguai. No entanto, após o sucesso contundente desta produção, o ator já tem novas propostas de trabalho, tanto dentro como fora do país. Assim, poderá ser visto em Fábula de Uma Conspiração, do colombiano Carlos Varela, e em outro longa-metragem no seu país, no qual também cantará — de fato, é também cantor.

Até hoje, o jovem ator reconhece que custa a acreditar ter sido escolhido para o papel e também em tudo o que viveu depois dessa experiência, com várias viagens ao exterior para apresentar seu trabalho, que não esteve isento de dificuldades. “A verdade é que o maior inconveniente foi filmar em um lugar real, onde não tínhamos o controle das locações. Mas esperava que o filme fosse um sucesso e que agradasse o público paraguaio, e dessa forma começar um mercado mais conveniente para os cineastas”, afirma.

Hoje, é evidente que 7 Caixas insinua uma nova etapa para a produção paraguaia, em um país que nem sequer contava com uma instituição de cinema, razão pela qual o longa não pôde competir pelo Oscar. De qualquer forma, o futuro parece se desenhar interessante para o ator, que faz teatro há vários anos e que organizou recentemente um festival de rock em Tobatí, sua cidade natal, localizada a 63 km de Assunção.

Por sua vez, é Lali González quem dá vida a Liz, uma garota que ajuda o protagonista a cumprir sua tarefa, embora muitas vezes também faça a vida dele impossível. Para a jovem, o sucesso de 7 Caixas reside em que “é um filme muito cru, sem filtro e que narra o sonho de um menino sem vitimizar o país, mas pelo contrário utilizando tudo isso a partir de um humor negro e muito suspense, o que deu em um longa-metragem inovador, simpático, cativante e real”.

Lali conta que desde o começo sabia que o filme daria certo, apesar de não esperar que ultrapassasse fronteiras de forma tão contundente. “Quando participei do projeto, sabia que guiados por Juanca e Tana o filme seria um sucesso no Paraguai, mas a repercussão internacional pegou todos nós de surpresa, é maravilhoso ver que o cinema seja uma das formas de chegar ao mundo todo e que conheçam um pouco do nosso cinema e do nosso país”, considera.

Assim como no caso do seu colega de cena, o filme catapultou Lali de maneira imediata à fama, tornando-a uma das maiores celebridades do seu país. De fato, sua frase “Corre, Vítor”, dita por sua personagem ao longo da trama, já é um clássico por lá. Frequentemente comparada à norte-americana Natalie Portman, a atriz — que também é advogada — agora participa de projetos em países como Chile e Argentina, além de prestar sua imagem para diversas marcas.

Para além das marcas e prêmios conquistados neste período e considerando a repentina e meteórica fama à qual Celso Franco e Lali González estiveram expostos desde a estreia do longa, uma das características que mais impressiona nos dois atores é a sua simplicidade e humildade. É interessante observar como os dois interagem com o público, seja pessoalmente ou nas redes sociais, e como sempre atendem com gentileza a mídia, além de notar a naturalidade e maturidade com as quais administram sua popularidade. Elementos que fazem de 7 Caixas um filme ainda mais valioso e ao mesmo tempo confirmam a acertada decisão de Maneglia e Schémbori no seu trabalho de casting; assim, não só o longa-metragem pode ser considerado uma joia, mas também estes dois talentos descobertos para o mundo pelos dois diretores.

Anúncios

Sobre paraguaiteete

O Núcleo Cultural Guarani “Paraguay Teete” nasceu em junho de 2009 em São Paulo, Brasil, da mão de admiradores da cultura guarani residentes nessa cidade para difundir a rica cultura da República do Paraguai. Dentre os principais objetivos do Núcleo, podemos destacar: 1. Gerar uma imagem diferente daquela que muitos brasileiros têm do país (como por exemplo, a ideia de que o Paraguai se reduz a Ciudad del Este) por meios de eventos culturais tais como apresentações de documentários, palestras, gastronomia, música e cursos. 2. Fortalecer a identidade cultural de paraguaios e descendentes residentes no Brasil por meio da difusão permanente da cultura e da língua Guarani. 3. Proporcionar espaços e contatos para os profissionais paraguaios das diferentes modalidades artísticas, dando-lhes a possibilidade de ter acesso ao rico circuito cultural brasileiro e, em contrapartida, oferecer a mesma oportunidade para brasileiros que queiram conhecer ou desfrutar da autêntica cultura paraguaia. 4. Defender a dignidade, a imagem e a história do Paraguai e dos seus descendentes perante situações discriminatórias, tratos pejorativos, piadas e chacotas que a mídia do Brasil vem produzindo constantemente. 5. Acionar a Polícia Federal contra criminoso que usam a internet para caluniar com comentários racistas que violem a Lei Nº 7.716/89: Art. 1° diz “Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. Assim como o Art. 20° que diz “Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. El Núcleo en castellano: El Núcleo Cultural Guaraní "Paraguay Teete" nació en junio de 2009 en la ciudad de São Paulo, Brasil, de la mano de admiradores de la cultura guarani residentes en esta ciudad para difundir la rica cultura de la República del Paraguay. Entre los objetivos se encuentran: 1. Generar una imagen diferente de la que los brasileños tienen del país (entre otras ideas de que piensan que Paraguay se reduce a Ciudad del Este). 2. Fortalecer la identidad cultural del paraguayo y de sus desendientes residentes en el Brasil a través de la difusión permanente de la Cultura Guaraní resaltando siempre el idioma Guaraní. 3. Proporcionar espacios y contactos para los profesionales de las diferentes modalidades artísticas, dándoles la posibilidad de acceder al rico circuito cultural brasileño y a
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s