A vida ignorada no Paraguai

Fonte: National Geographic, 16 de maio de 2014. Tradução livre.
Link: http://www.ngenespanol.com/articulos/720928/vida-ignorada-paraguay/

national geographic
Um casal alemão lidera a defesa de espécies exóticas no país.

O pichiciego é um tatu, um mamífero de patas curtas, longo casco e olhos pequenos, apesar de seu nome, e uma das espécies mais raras que habita o Chaco, na zona norte do Paraguai.

Nesta região árida e seca também vive a anta, um dos maiores mamíferos da América do Sul e que costuma ser muito arisco diante da presença do ser humano.

Estes animais, mais o cabasú chaqueño(1), o mboreví(2), a lontra gigante, o tapiti boli(3), o tejú guasú(4) ou o bicho-pau, apenas para nomear alguns, integram a rica, variada e exótica fauna silvestre do Paraguai, cuja cara esteve por anos oculta e que agora emerge com força, reclamando imediata atenção ante a ameaça de extinção.

Um casal de alemães vem trabalhando com entusiasmo e dedicação há 10 anos nessa zona e conta, com orgulho, entre seus feitos, ter localizado, no ano passado, um pichiciego que se acreditava estar extinto.

Trata-se de Sabine e Thomas Vinke, que vivem no Chaco paraguaio desde 2004 em uma localidade rural de 600 hectares, próxima à cidade de Filadelfia, onde criam gado e administram uma reserva natural.

O achado foi “um acontecimento científico”, disse Sabine, entusiasmada com a tarefa que realiza junto a seu esposo e um reduzido grupo de colaboradores. Ademais, o casal e sua equipe dirigem um programa em um canal de televisão paraguaio e publicam livros e revistas quando dispõem de recursos e apoio suficientes.

Durante estes anos, os Vinke também encontraram um casal de antas e puderam filmá-los “no momento em que estavam preparando sua boda”, uma experiência “muito bonita, pelo quão difícil é se relacionar com esses animais”, diz Sabine.

Os Vinke, oriundos de Haan (no oeste da Alemanha) têm tentado, sem êxito, nestes dez anos obter o apoio do governo central paraguaio, deparando-se com “critérios diferentes de como se pode conservar a natureza”.

Essas diferenças foram notórias e geraram mais distanciamento, quando o casal encabeçou uma campanha nacional contra o propósito da estatal Secretaria de Ambiente (SEAM) de autorizar a matança de 240.000 tejú guasú, uma variedade de lagarto também em risco de extinção. Um pouco melhor é a relação com as autoridades vinculadas ao turismo, ainda que nunca tenham podido formular projetos conjuntos que permitam aprofundar a campanha para preservar as espécies silvestres, que, para os Vinke, deveriam ser quase um patrimônio nacional.

O casal de alemães cobre os gastos que demanda esta tarefa com fundos próprios e apoio da municipalidade da cidade de Filadelfia e de uma cooperativa de menonitas.

national geographic 2
Sabine Vinke

Um exemplo de desinteresse e despreocupação das autoridades do Paraguai é que a araponga (pájaro campana), a ave mais emblemática do país e que adquiriu notoriedade internacional através de uma famosa canção do começo do século XX, não havia sido declarada ave nacional do Paraguai até o ano de 2004.

Também este pássaro está ameaçado pela perda de seu habitat e pela caça indiscriminada. Os Vinke, que se converteram em uma referência a temas de preservação da fauna paraguaia, consideram que “falta muito para se fazer”, e seu objetivo é “a educação ambiental”. “E não somente no Paraguai, mas em toda a América do Sul”.

“É muito importante que as pessoas saibam o que há em seu país. Eles veem na televisão a África ou a Austrália, mas não valorizam a biodiversidade incrível que têm, com espécies que exclusivamente vivem no Chaco”.

A pregação do casal de alemães está dando seus frutos. “Estamos vendo a mudança de mentalidade nas pessoas. No programa de televisão, recebemos milhares de mensagens. As pessoas estão mudando totalmente sua maneira de pensar”, sustenta Sabine, esperançosa.

Notas do tradutor:

1- Cabasú chaqueño: espécie de tatu, que vive na região do Chaco.
cabasú chaqueño
Fonte da imagem: Wikipedia.

2- Mboreví: espécie de anta.
mboreví
Fonte da imagem: Blog Rescatando mi cultura guaraní.

3- Tapiti boli: espécie de roedor, típico da região do Chaco.
tapiti boli
Fonte da imagem: Paraguay Salvaje (Facebook)

4- Tejú guasú: espécie de lagarto.
tejú guasú
Fonte da imagem: Wikipedia.

Material adicional: canção “Pájaro campana”, interpretada pelo harpista Mariano González

Anúncios

Sobre paraguaiteete

O Núcleo Cultural Guarani “Paraguay Teete” nasceu em junho de 2009 em São Paulo, Brasil, da mão de admiradores da cultura guarani residentes nessa cidade para difundir a rica cultura da República do Paraguai. Dentre os principais objetivos do Núcleo, podemos destacar: 1. Gerar uma imagem diferente daquela que muitos brasileiros têm do país (como por exemplo, a ideia de que o Paraguai se reduz a Ciudad del Este) por meios de eventos culturais tais como apresentações de documentários, palestras, gastronomia, música e cursos. 2. Fortalecer a identidade cultural de paraguaios e descendentes residentes no Brasil por meio da difusão permanente da cultura e da língua Guarani. 3. Proporcionar espaços e contatos para os profissionais paraguaios das diferentes modalidades artísticas, dando-lhes a possibilidade de ter acesso ao rico circuito cultural brasileiro e, em contrapartida, oferecer a mesma oportunidade para brasileiros que queiram conhecer ou desfrutar da autêntica cultura paraguaia. 4. Defender a dignidade, a imagem e a história do Paraguai e dos seus descendentes perante situações discriminatórias, tratos pejorativos, piadas e chacotas que a mídia do Brasil vem produzindo constantemente. 5. Acionar a Polícia Federal contra criminoso que usam a internet para caluniar com comentários racistas que violem a Lei Nº 7.716/89: Art. 1° diz “Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. Assim como o Art. 20° que diz “Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. El Núcleo en castellano: El Núcleo Cultural Guaraní "Paraguay Teete" nació en junio de 2009 en la ciudad de São Paulo, Brasil, de la mano de admiradores de la cultura guarani residentes en esta ciudad para difundir la rica cultura de la República del Paraguay. Entre los objetivos se encuentran: 1. Generar una imagen diferente de la que los brasileños tienen del país (entre otras ideas de que piensan que Paraguay se reduce a Ciudad del Este). 2. Fortalecer la identidad cultural del paraguayo y de sus desendientes residentes en el Brasil a través de la difusión permanente de la Cultura Guaraní resaltando siempre el idioma Guaraní. 3. Proporcionar espacios y contactos para los profesionales de las diferentes modalidades artísticas, dándoles la posibilidad de acceder al rico circuito cultural brasileño y a
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s