Entrevista com Gustavo Codas: Itaipu e os desafios da democracia paraguaia

Gustavo Codas, economista paraguaio formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e Mestre em Relações Internacionais pelo Programa de Pós-Graduação San Tiago Dantas (UNESP, UNICAMP e PUC-SP), concedeu uma entrevista à CLACSO TV (iniciativa do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais) na qual discorreu sobre inúmeros aspectos que ajudam a compreender o Paraguai em suas variadas dimensões.

Tendo atuado, ao longo de sua trajetória profissional, como diretor geral da Itaipu Binacional (pelo lado paraguaio) e como Ministro-assessor de Relações Internacionais da Presidência da República do Paraguai – ambos durante a gestão do presidente Fernando Lugo (2008-2012) –, Codas confere especial ênfase às questões envolvendo a usina hidrelétrica paraguaio-brasileira e a maturação da democracia do país.

Na abertura da entrevista, quando questionado a respeito de quais meios uma pessoa poderia se utilizar para entender o Paraguai em seus principais aspectos, Codas menciona os trabalhos de dois consagrados autores paraguaios: Augusto Roa Bastos (1917-2005) e Oscar Creydt (1907-1987). Do primeiro, no entanto, ao invés de expor sua obra mais celebrada, Yo, El Supremo – que teria como foco a questão do poder, por tratar da ditadura de José Gaspar Rodríguez de Francia (transcorrida de 1814 a 1840) –, destacam-se as produções que possibilitam uma compreensão mais ampla sobre o povo paraguaio em específico, como Hijo de Hombre e El Trueno Entre Las Hojas, as quais, embora escritas há décadas, conteriam elementos verificáveis até os dias de hoje. Já do segundo, a obra destacada se intitula Formación Histórica de la Nación Paraguaya, apontada como fundamental para se compreender a constituição do país de forma geral, destacando-se seu passado colonial, as particularidades de sua oligarquia e eventos como a Guerra da Tríplice Aliança, entre outros aspectos.

Na sequência, Codas discorre sobre seu atual objeto de investigação, a dizer, a questão da usina hidrelétrica paraguaia-brasileira de Itaipu, mais precisamente, o porquê de sua construção e funcionamento, ao menos até o momento, não ter impulsionado um real desenvolvimento paraguaio. Em outras palavras, adota-se como premissa a de que as divisas atraídas por tal empreendimento não foram utilizadas para fomentar processos de industrialização mais significativos e sustentáveis no país (observação que valeria também para o caso da usina binacional de Yacyretá, esta compartilhada com a Argentina). Embora sua pesquisa ainda não esteja concluída, Codas acredita que a hipótese mais plausível é aquela que se direciona à responsabilidade da oligarquia nacional na temática. Segundo se supõe, a oligarquia paraguaia historicamente não confere prioridade à produção, mas, sim, ao seu consumo e usufruto de produtos de luxo, de modo que os recursos advindos de Itaipu não foram aplicados no desenvolvimento da estrutura produtiva do país, mas na elevação da qualidade de vida de setores limitados da sociedade.

Alinhado a isso, Codas destaca que o contexto da construção de Itaipu e de seus primeiros anos de funcionamento era muito favorável à modernização e elevação dos padrões de vida do país. Havia um considerável montante de capital acumulado por conta da usina, além de uma ampla oferta de mão-de-obra (decorrente, em parte, da expulsão de camponeses de suas terras pela expansão de latifúndios monocultores). Entretanto, tal capital, segundo o economista, passou a ser largamente desviado para negócios ilícitos, tais como o contrabando de armas e drogas, à lavagem de dinheiro e à incipiente “triangulação comercial” feita com produtos de origem chinesa na região, o que não só acarretou na priorização do consumo de bens importados por parte de um pequeno grupo dominante em detrimento do desenvolvimento da produção interna paraguaia como também não solucionou o problema da escassez de empregos. Em adição a isso, destaca-se o notável problema da corrupção na gestão de Alfredo Stroessner (1954-1989), o que teria agravado ainda mais o problema.

Por fim, Codas lança reflexões sobre a democracia paraguaia, ainda notavelmente submetida principalmente aos mandos do mais que centenário Partido Colorado e, em menor escala, ao Partido Liberal. Nesse sentido, um dos desafios percebidos por Codas seria o de reformar o sistema eleitoral paraguaio, controlado pelos dois citados partidos dominantes, considerando que, por sua vigente condição, a vitória de projetos alternativos, ainda que contem com amplo apoio popular, tem limitada possibilidade de ocorrer. Ademais, Codas afirma que a ditadura de Stroessner deixou resquícios que ainda podem ser verificados nas mais diversas esferas, como a política, a econômica e a social, fazendo persistir um esquema de dominação que ainda está para ser extirpado.

Para conferir a entrevista de Gustavo Codas na íntegra, basta acessar o vídeo a seguir:

Anúncios

Sobre paraguaiteete

O Núcleo Cultural Guarani “Paraguay Teete” nasceu em junho de 2009 em São Paulo, Brasil, da mão de admiradores da cultura guarani residentes nessa cidade para difundir a rica cultura da República do Paraguai. Dentre os principais objetivos do Núcleo, podemos destacar: 1. Gerar uma imagem diferente daquela que muitos brasileiros têm do país (como por exemplo, a ideia de que o Paraguai se reduz a Ciudad del Este) por meios de eventos culturais tais como apresentações de documentários, palestras, gastronomia, música e cursos. 2. Fortalecer a identidade cultural de paraguaios e descendentes residentes no Brasil por meio da difusão permanente da cultura e da língua Guarani. 3. Proporcionar espaços e contatos para os profissionais paraguaios das diferentes modalidades artísticas, dando-lhes a possibilidade de ter acesso ao rico circuito cultural brasileiro e, em contrapartida, oferecer a mesma oportunidade para brasileiros que queiram conhecer ou desfrutar da autêntica cultura paraguaia. 4. Defender a dignidade, a imagem e a história do Paraguai e dos seus descendentes perante situações discriminatórias, tratos pejorativos, piadas e chacotas que a mídia do Brasil vem produzindo constantemente. 5. Acionar a Polícia Federal contra criminoso que usam a internet para caluniar com comentários racistas que violem a Lei Nº 7.716/89: Art. 1° diz “Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. Assim como o Art. 20° que diz “Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. El Núcleo en castellano: El Núcleo Cultural Guaraní "Paraguay Teete" nació en junio de 2009 en la ciudad de São Paulo, Brasil, de la mano de admiradores de la cultura guarani residentes en esta ciudad para difundir la rica cultura de la República del Paraguay. Entre los objetivos se encuentran: 1. Generar una imagen diferente de la que los brasileños tienen del país (entre otras ideas de que piensan que Paraguay se reduce a Ciudad del Este). 2. Fortalecer la identidad cultural del paraguayo y de sus desendientes residentes en el Brasil a través de la difusión permanente de la Cultura Guaraní resaltando siempre el idioma Guaraní. 3. Proporcionar espacios y contactos para los profesionales de las diferentes modalidades artísticas, dándoles la posibilidad de acceder al rico circuito cultural brasileño y a
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s