Discriminação no Brasil

Esta seção mostra os equívocos cotidianos cometidos pelos brasileiros contra o povo paraguaio e sua cultura, e que são difundidos pela mídia do Brasil.
O material coletado revela o preconceito enraizado na cultura brasileira, baseado na ausencia de informações adequadas nas escolas sobre nossa história latino-americana, e reforçado pelo constante uso pejorativo da palavra “Paraguai” em jornais, na TV, na internet e em produções culturais diversas.

Apresentador do programa Bola Dividida da Redetv: Corinthias contratou um jogador paraguaio heim, espero que não seja falsificado”

Gloria Vanique, apresentadora do jornal SPTV da Red Globo: “E a garantia é a Ananda Apple dessa receita paraguaia mais, essa daí não é falsificada não, essa é verdadeira.
Vídeo no minuto: 05:53
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/10/aprenda-receita-de-chipa-de-queijo.html

Gloria Vanique

Gloria Vanique, preconceituosa no minuto 05:53, jornal SPTV Rede Globo

Silvio Santos, Sistema Brasileiro de Televisão (SBT): “Jogo dos Pontinhos”
A falta de respeito ao país em um diálogo entre Lívia Andrade, uma das participantes, e Silvio Santos: “Uma das convidadas elege o Paraguai como o país que gostaria de visitar, dizia “vou ao Paraguai para trazer muambas”, ou seja, contrabando”. Silvio responde dizendo que ela é falsificada como o país que escolheu porque no Paraguai tudo se falsifica, falsificação é no Paraguai mesmo”.

Silvio Santos

Jornal Extra do Rio de Janeiro da Rede Globo: Rooney provoca, e chama o Arsenal de cavalo paraguaio
1422595_10202213577802905_745957603_n
Leia mais: http://extra.globo.com/esporte/rooney-provoca-chama-arsenal-de-cavalo-paraguaio-10709641.html#ixzz2k3DO8Ope

O jornal EXTRA, do grupo Globo, faz uso de um enferrujado clichê para se referir a uma equipe que está bem hoje e que num futuro próximo estaria em decadência por falta de competência, como se fosse um ‘fogo de palha’, cuja chama dura pouco. A expressão ‘cavalo paraguaio’ foi colocada na boca de um jogador inglês! Será que ele conhece esse cacoete jornalístico infeliz?! Nós vamos perguntar a ele. Mas perguntamos aos jornalistas do EXTRA, por que essa ofensa à cultura e ao povo paraguaio?

Heloisa Périssé no filme Odeio o dia dos namorados: “Tira esse urso paraguaio da minha cara”
O humor é muito ruim quando perpetua preconceitos. É também muito importante ter responsabilidade fazendo humor.

Milton Neves, jornalista esportivo da Rede Bandeirantes.
Que história é essa de ‘cavalo paraguaio”? Por que associar ao que vem daquela nação irmã a ideia de falso, falsificado, ilegítimo, de má qualidade, intrinsecamente negativo como indica a expressão “cavalo paraguaio”?
Temos visto e ouvido recorrentemente em seu programa esportivo graves ofensas à nação paraguaia, representadas pela expressão, dita à exaustão, “cavalo paraguaio”.
Milton Neves

Não olvidem de suas responsabilidades sociais. O jornalismo brasileiro tem de parar de ser um veículo de difusão de preconceitos, prepotências, desinformação, propagação da incultura e tudo que possa interferir negativamente na informação e formação de seus leitores, espectadores, ouvintes etc.
http://blogmiltonneves.bol.uol.com.br/blog/2013/05/10/o-galo-total-os-cavalos-arabes-e-o-mau-juvenal-ora-se-o-atual-galo-hoje-um-cavalo-arabe-poi-e-um-cavalo-paraguaio-o-que-e-o-sao-paulo-do-joquei-juju-uma-mula-manca/
http://blogmiltonneves.bol.uol.com.br/?s=cavalo+paraguaio+
http://blogmiltonneves.bol.uol.com.br/blog/2013/05/18/no-pais-do-mas-os-detratores-do-galo-quebraram-a-cara-e-os-cavalos-paraguaios-sao-paulo-palmeiras-corinthians-e-gremio-que-nao-aguentaram-o-tranco/

Repórter Andre Hernán da Sportv: “Palmeirense paraguaio… e legítimo”
E, de novo, o jornalismo esportivo…Já não há mais surpresas no que concerne ao jornalismo esportivo e a frequente referência ao termo “paraguaio” como sinônimo de “falsificado”. Desta vez, porém, a brincadeira não se deu com o clichê “cavalo paraguaio”. Em reportagem pelo canal SportTV, o jornalista André Hernan, falando diretamente da capital paraguaia para a cobertura do jogo entre a equipe assuncena Libertad e o paulistano Palmeiras, válido pela Taça Libertadores da América, encontrou um torcedor local da equipe brasileira. Diante disso, abriu a matéria com a frase: “Palmeirense paraguaio… e legítimo!”, como se fosse uma grande contradição ser “paraguaio” e “legítimo” ao mesmo tempo. Associações como essa são frequentemente feitas por alguns veículos de comunicação brasileiros. Mesmo que, provavelmente, sem a intenção de ofender, brincadeiras e deboches como esse causam desconforto a muitos paraguaios, além de ajudar a inflar uma cultura discriminatória contra os nacionais da vizinha República guarani, o que, no extremo, prejudica a vida de muita gente na prática. É cada vez mais urgente que, diante da liberdade de imprensa, os profissionais da mídia tenham responsabilidade e consciência daquilo que estão transmitindo. O poder de formar opiniões é demasiado sério para ser usado sem senso crítico.

http://sportv.globo.com/videos/palmeiras/t/ultimos/v/com-estreantes-em-libertadores-valdivia-e-kleber-no-banco-palmeiras-encara-o-libertad/2431789/

Queremos e pedimos a Sportv que rompa com preconceitos e estereótipos sobre o Paraguai já que impactam diretamente na vida de muita gente. Pedimos respeito, acima de tudo.  

–  Jornalista Andre Hernán esclarece reportagem sobre torcedor paraguaio: Caros,

Em contato com o Sr. Aldo, tive a oportunidade de esclarecer o fato!

Em nenhum momento tive a idéia de causar um mal estar ou menosprezar os paraguaios!

No texto, usei o termo legítimo para fazer uma referência á legitimidade do torcedor palmeirense! Alex é paraguaio e acima de tudo um palmeirense apaixonado, que não estava ali para fazer oba-oba na frente das câmeras! O garoto paraguaio, aliás, foi muito exaltado na reportagem, ganahndo inclusive autógrafos e fotos dos jogadores do palmeiras!

De qualquer maneira, peço desculpas aos senhores pelo mal entendido! Não foi e nunca será a minha de conduta fazer um jornalismo pejorativo!! O sportv faz um jornalismo sério, de qualidade e jamais menospreza seus entrevistados!

Fico a disposição de vocês para qualquer esclarecimento!

Um abraço! Andre Hernan

Ator global ofende a nação paraguaia em novela 

Dia 27/9/2012- “Lúcio” para “Carminha”: “Oh, este relógio não é de gente rica, eu vi no shopping, é promoção, compre 2 e leve 3”.

Personagem “Max” para “Lúcio” referindo-se a “Carminha”: Esta aqui não presta! Ela te enche de presentes. Vai te enganando!.. vai te dando RELÓGIO PARAGUAIO!” [etc.]

Repudiamos este tipo de manifestação tão comum nas novelas brasileiras e que alimentam o telespectador com estigmas contra o povo e a cultura paraguaia. O Paraguai não produz nenhum tipo de relógio e sua cultura nada tem de falsa, pelo contrário, é verdadeira, autêntica, única e resiste contra todo tipo de violência e atos ignóbeis como este.

Veja o vídeo: Novela “Avenida Brasil”, RedeGlobo ( aos  17 minutos da parte 5, capítulo 160, quinta-feira, 17 de setembro de 2012)

Marcello Novaes da Red Globo preconceituoso no minuto 17

Marcello Novaes da Rede Globo: preconceituoso, mais uma vez,  agora na novela “Avenida Brasil”, aos  17 minutos da parte 5, capítulo 160, quinta-feira, 17 de setembro de 2012

Marcello Novaes, o Max da novela “Avenida Brasil”, contribuiu com a frase: RELÓGIO PARAGUAIO, que ajuda a enraizar o estereótipo de que tudo o que vem do Paraguai é falso ou de qualidade duvidosa. Não é a primeira vez que esse ator se presta a esse serviço sujo de gravar cenas com este tipo de mensagem, que denigrem nossa dignidade. Recentemente, foi na novela “Cama de Gato”, em uma cena em que diz: Milonguero paraguayo de los infiernos, referindo-se a um dos personagem que se fazia passar por argentino, quando na realidade era um conterrâneo carioca. Chamou-o de ‘paraguaio’ ao personagem qualificado como farsante, falso, mentiroso.

Lembramos ao ator Marcello Novaes e ao diretor da novela “Avenida Brasil”, João Emanuel Carneiro, que não existe RELÓGIO PARAGUAIO e sim relógios Made in China, que são vendidos tanto no Paraguai como no Brasil, na Argentina, na França, na Indonésia, na Polônia, nos EUA, na África do Sul, na Avenida Brasil…

– SITE DA UOL: Pergunta sobre ‘Paraguai falsificado’ irrita Arce

Francisco “Chiqui” Arce, jugador de futebol paraguaio

“Ao ser questionado sobre se o bom futebol teria apagado a fama de que tudo que vem do Paraguai é falso, Arce mostrou insatisfação. “Essa é uma questão social tão forte que não vou dar uma resposta do tamanho da pergunta, é algo muito mais profundo. Isso é culpa do governo, que não presta atenção na fronteira, porque os sacoleiros mesmo são brasileiros”, esbravejou. “Quando comecei no sul [foi jogador do Grêmio], tiravam sarro, humilhavam e não respeitavam. Fiz meu trabalho, acho que bem feito, fui respeitoso com todo mundo, aberto, leal, sincero, simples. Hoje melhorou um pouco essa parada”.

Mais uma pessoa de nacionalidade paraguaia desrespeitada no Brasil. Pelo menos ainda existem pessoas civilizadas, como o jogador Chiqui Arce, que não toleram este tipo de preconceito.

SPORTV E JORNAL MARCA: Veja o vídeo do programa REDAÇÃO SPORTV, do dia 16 de março de 2012, no qual o apresentador André Rizek estampa a manchete do jornal Marca do Rio de Janeiro em que aos 3m25s chama o Flamengo de “Cavalo Paraguaio”. André Rizek faz um comentário amenizador sobre a manchete do jornal: “Brincando com a nacionalidade do país vizinho”.

Clique aqui: CAVALO PARAGUAIO

A imprensa esportiva brasileira é recorrente no tratamento pejorativo do Paraguai, pois é regra vincular uma equipe que começa vencendo e no final é derrotada como sendo coisa de paraguaio, menosprezando a participação e qualquer triunfo de uma equipe guarani.

A utilização, já quase normal, do termo CAVALO PARAGUAIO fere o Código de Ética do Jornalista Brasileiro. As leis vigentes no Brasil punem tais manifestações.

Preconceito não é brincadeira e sua promoção tem de ser evitada!

– Jornalistas zombam do Paraguai no programa “O III Reich na Copa” da SPORTTV da Rede Globo:

Isto não se faz!!

Para o Supremo Tribunal Federal (STF), do Brasil: “As liberdades públicas não são incondicionais, por isso devem ser exercidas de maneira harmônica, observados os limites definidos na própria CF (CF, art. 5º, § 2º, primeira parte).

– SPORTV da Rede Globo: O que vocês fizeram não se faz, tanto que tiveram que pedir desculpas. Tomara que a Rede Globo pare de ofender e denegrir a imagem do Paraguai o tempo todo, no final das contas, o Brasil não é tão perfeito e ético ou sim?

Depois de várias reclamações a SPORTV falou o sgte.:

Aurora Bello: Que grande jogo fez o Paraguai alias que copa! Melhor da historia do País e um orgulho para os Sul Americanos.
Reporter: Isso mesmo, e a gente aproveita esse momento pra fazer um pedido de “desculpas” pela “péssima” maneira como o povo Paraguaio foi abordado numa reportagem exibida essa semana. Não foi nossa intenção ofender ninguém, e nem é essa a linha de trabalho aqui do SporTV que preza claro pelo respeito a todos os povos.
Aurora Bello: Respeito, tai uma coisa que o Paraguai vem conquistando no Futebol. Participou das ultimas quatro copas contando a de 2010, Em 98 saiu nas oitavas num dos jogos mais dramáticos da campeã França, que só conseguiu a vitoria no gol de ouro. Em 2002 nova derrota por 1 a 0 nas oitavas e novamente para um gigante, a Alemanha. Esse ano o Japão não conseguiu segurar o Paraguai nas oitavas. E o time chegou pela primeira vez as quarta de final. O jogo contra Espanha teve de tudo. Gol anulado! Pênalti perdido, defesa milagrosa de Casillas. Bem que podia ter sido diferente. Mais o importante é que o Paraguai provou que deve ser respeitado, “que vale também para fora do Futebol”. A final estamos em tempos de copa do Mundo. Tempo de confraternização, de união entre povos, de celebrar o que temos de melhor.

– Tudo é possível – Rede Record conduzido por Ana Hickmann: Dani Souza mostra os encantos de Punta del Este, enquanto Raimundinha faz farofa no Paraguai. Espaço humorístico dirigido pelas “irmãs” Dani Souza e Raimundinha dentro do programa TUDO É POSSIVEL onde apresenta nosso país sendo alvo de escárnio e preconceito por meio de imagens e comentários colocados com deboche e de forma pejorativa.

Vídeo publicado por  el 22/02/2011: http://www.youtube.com/watch?v=zpZC5w3QLo4&feature=player_embedded

– Preconceito na TV RECORD: Vilãs de “Bela, a Feia” vão fugir juntas para o Paraguai: Vilãs de “Bela, a Feia” vão fugir juntas para o Paraguai

– Preconceito na TV GLOBO: Novela Passione: Clara é presa quando tenta fugir para o Paraguai: Passione: Clara é presa quando tenta fugir para o Paraguai

– Filme Meu nome não é Johnny: preconceituoso no minuto 3:00

– Revista VEJASíndrome de pedinte rico

Se a Veja quiser uma aula sobre a usina de Itaipú e a questão da tarifa muitos podem ajudar, mas ler esta reportagem leviana com tom pejorativo não é jornalismo sério.

– Portal IG, Poder Online con Jorge Felix e Tales Faria: Bolsa Família paraguaio corre o risco de ser um programa falsificado

Mais notícia leviana com o intuito de falar que tudo no Paraguai é falsificado, desculpem mas isso não é jornalismo sério.

– Agencia de notícias alemã Deutsche Welle do Brasil: Legítimo ou “do Paraguai”? escrito por: Assis Mendonça  Legítimo ou \”do Paraguai\”?

Mais um caso de preconceito, o titulo original do programa Alemão era “legítimo ou Falsificado’ , no entanto a tradução para o Português virou “Legítimo ou do Paraguai”.

– Portal IG: Ferraris do Paraguai

Mais um caso de preconceito, uma falsificação feita na Itália de um produto Italiano , nada a ver com o Paraguai. Mais uma vez o IG faltando com a ética da profissão e a Lei 7716/89

– Portal UOL: Canal tudo gostoso Bacalhau do Paraguai (falso bacalhau), não é a primeira vez que UOL difunde preconceito sobre o Paraguai.

– REDETV: A apresentadora de TV Luciana Giménez apoiando uma personagem que humilla o Paraguai. Veja a personagem Luciana do Paraguai interpretado por Tiago Bernabé.

Luciana do paraguai ahora será Luciana Cover

SuperPop – Luciana do Paraguai, vídeo publicado por jonhy851: http://www.youtube.com/watch?v=vZwJHq_6pKM&feature=related

SuperPop – Luciana do Paraguai acorda JuJu Panicat, vídeo publicado por jonhy851: http://www.youtube.com/watch?v=mEaHOlYyVfY&feature=related

Luciana do Paraguai nos Calçados Miucha, vídeo publicado por Calçados Miucha: http://www.youtube.com/watch?v=907ZoutBHsg&feature=related

Luciana do Paraguai faz dieta a 50 metros de altura, vídeo publicado por r3splandece el 09/04/2010: http://www.youtube.com/watch?v=il0d99bXdEw&feature=related

Sem Paletó entrevista Luciana Paraguai, vídeo publicado por vitorbrv el 14/06/2010:  http://www.youtube.com/watch?v=Li38pln9yqA&feature=related

Luciana do Paraguai no show e no camarim da Calcinha Preta.avi, video publicado por  el 07/07/2010: http://www.youtube.com/watch?v=ANgSsi7Qotk&feature=related

– REDETV: Personagem Luciana do Paraguai Troca de Nome – Parece que estão se dando conta do erro.

Ante protesta paraguaya, RedeTV! cambia el nombre de Luciana do Paraguai: http://www.ultimahora.com/notas/351775-Ante-protesta-paraguaya,-RedeTV!-cambia-el-nombre-de-Luciana-do-Paraguai

– Portal CIDADE VERDE do Estado de Piauí apoiando e espalhando o preconceito contra o Paraguai:  Heráclito Fortes: “tem candidato ao Senado que é mercadoria falsa do Paraguai” – Mais um absurdo.

– Portal de noticias UOL: 1° Carro Fabricado no Paraguai, publicado por Antônio M. Rocha no 30/05/2010

http://mais.uol.com.br/view/e8h4xmy8lnu8/1-carro-fabricado-no-paraguai-04029C3166D0815386?fullimage=1&types=A

São eles ( a mídia em gral.) que agora fala constantemente de ¨racismo¨ e ¨preconceito¨, será que não precebem que os maiores prejuiciosos são eles mesmos?, denigrando o tempo enteiro um pais vizino chamado PARAGUAI.

– Portal MIDIA NEWS de Cuiabá, Mato Grosso: Made in Paraguaium exemplo a mais do preconceito irresponsável que existe no Brasil contra todo o relacionado ao Paraguai.

– Site da FIFA no BRASIL usa térmo peyorativo: CABALO PARAGUAIO na materia: Manchester United entra para a história

O campeão vs. Cabalo Paraguaio
Não há dúvida de que o Manchester United enfrentou muitos problemas no galope rumo ao título. Por outro lado, teve no comando técnico um jóquei acostumado a vencer como azarão desde a sua chegada há 25 anos. Mostrando que não era cavalo paraguaio, o time de Old Trafford não apenas conquistou a Premier League, como também o fez com nove pontos de vantagem sobre o Chelsea. Conforme a informação disponível na Internet:Cavalo paraguaio é uma gíria utilizada no futebol brasileiro para designar equipes ou jogadores que tenham uma boa atuação no começo de um campeonato, ou mesmo em uma partida, e a seguir decaem de modo a serem superados pelos demais. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Cavalo_paraguaio)

No futebol, o jornalismo esportivo parece discriminar o Paraguai, é común ouvir o termo CABALO PARAGUAIO sendo espalhado como piadas ou chacotas por importantes personalidades da sociedade brasileira. Lamentável.

– Jornal FOLHA DE SÃO PAULO: Alckmin é “cavalo paraguaio”, diz líder do governo, escrito por Nancy Dutra da Sucursal de Brasília

Alckmin é \”cavalo paraguaio\”, diz líder do governo

A avaliação é do líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), para quem o tucano é um “cavalo paraguaio”.

Tanto o jornal como o político Vaccarezza foram racistas. No caso da Folha, não é primera vez que difunde térmos peyorativos sobre o Paraguai. Lembramos aos senhores que no Brasil encontra-se vigente a Lei de Preconceito Racial (Lei nº 9.459/1997), cujo Art. 20 define claramente que serão punidos os crimes resultantes de praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, com o agravante de ser cometido por intermédio de meios massivos de comunicação.

– Revista VEJA: Mesmo buscando três pontos, Furacão se contenta com empate

“O volante Chico acredita que foi mais uma boa atuação de todo o time, mostrando que o Atlético-PR não é um ‘cavalo paraguaio’ nessa arrancada após a Copa do Mundo”.

No futebol, o jornalismo esportivo parece discriminar o Paraguai, né? – O Paraguai, como todos os outros países, tem seus problemas. Mas não justifica a imprensa do Brasil tratá-lo com imoralidade. O caso do “cavalo paraguaio” é apenas um dos muitos casos.

– Jornal ESTADO DE SAO PAULO: Ponte espera provar que não é ””cavalo paraguaio”” – Giuliander Carpes.

Ponte espera provar que não é \’\’\’\’cavalo paraguaio\’\’\’\’

Para apimentar a partida, uma polêmica. Durante a semana o técnico da Portuguesa, Vagner Benazzi, teria dito que a Ponte era “cavalo paraguaio” – time que começa bem mas diminui o rendimento no campeonato. Ambos, o jornal Estadão como o técnico Vagner Benazzi foram racistas. O preceito fundamental de liberdade de expressão não consagra o ‘direito à incitação ao racismo’, dado que um direito individual não pode constituir-se em salvaguarda de condutas ilícitas, como sucede com os delitos contra a honra. Prevalência dos princípios da dignidade da pessoa humana e da igualdade jurídica.” (HC 82.424, Rel. p/ o ac. Min. Presidente Maurício Corrêa, julgamento em 17-9-2003, Plenário, DJde 19-3-2004.)

– CORREIO POPULAR DE CAMPINAS, SP: SONHO PARAGUAIO CORREIO POPULARfoi escrito por Henrique Nunes. Achamos este material bastante ofensivo e racista, por isso, o denúnciamos ante a opinião pública paraguaia e a Embaixada do Paraguai no Brasil: Aquí nossa CARTA DE PROTESTO para HENRIQUE NUNES e a diretoria da RAC: HENRIQUE NUNES SONHO PARAGUAIO

RESPOSTA de HENRIQUE NUNES as imnúmeras manifestações de repúdio que recebeu ao seu comentário: HENRIQUE_NUNES_06_JUNHO_2011[1]

– CANAL FLUMINENSE: Don Benedito – Paraguaio falsificado, tricolor verdadeiro!

Nenhúm respeito nem pelo maior ídolo do Fluminense, o paraguaio Julio Cesar Romero alias “Romerito”.

– Programa CQC da BAND: “Seleção falisificada na Copa América”, veja a partir do minuto 3

– GLOBOESPORTE: Blog humorístico Bola nas costas a través Narrações Toscas: Brasil x Paraguai se podem ouvir frases como Lucas paraguaio é falsificado e ela a original, a verdadeira mulher paraguaia em referência a Larissa.

http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM1561673-7824-NARRACOES+TOSCAS+BRASIL+X+PARAGUAI,00.html

– Jornal Expresso de Rio de Janeiro utiliza térmo peyorativo: MULAMBADA PARAGUAIA

Mulambada paraguaia – julho 2011

– MARCELO ADNET, canal MTV BRASIL: “Só se fala de Paraguai” – Adnet zappeia num mundo paralelo onde o Paraguai é a maior potência do mundo.

http://www.mtv.com.br/programas/adnetaovivo/videos/so-se-fala-de-paraguai

– MARCELO ADNET, canal MTV BRASIL, programa: “15minutos paraguai” ano 2009. Adnet  foi realmente infeliz em alguns comentários sobre nosso Paraguai e a sua cultura. Merece tudo nosso repúdio e rechazo.

– Grupo Língua de Trapo: Os links abaixo são duas gravações de uma mesma música composta e gravada originalmente no final da década de 1980 e início da de 1990. A gravação foi feita pelo grupo humorístico paulistano Língua de Trapo, letra composta por César Brunetti, foi gravada pelo grupo Língua de Trapo, utilizando de forma pejorativa músicas tradicionais paraguaias como Lejanía (Meu primeiro amor) e Recuerdo de Ypacaraí.  A letra expressa a visão que parte da populaçaõ brasileira têm sobre o Paraguai por meio de termos preconceituosos, pejorativos e desqualificadores. O grupo Língua de Trapo acaba difundindo uma imagem distorcida altamente disseminada na mídia brasileira principalmente nas produções culturais e programas esportivos. Para o imigrante paraguaio e seus descendentes, esse conjunto de assédio diário acaba causando um desconforto nas relações cotidianas, que o brasileiro considera uma brincadeira sem maiores consequências, mas que para o paraguaio é uma intimidação que fere sua autoestima. Também constatamos que nossa nacionalidade e nossa cultura se transformaram em motivo de piada em qualquer círculo social, fato que já provocou muitos casos graves de bullying.

“Tudo para o Paraguai” – 1.991, Augusto César Nastari Brunetti (Nasceu em 11/12/1948 em São Paulo, SP . É também autor de jingles comerciais. Costuma fazer músicas satíricas, muitas delas gravadas por artistas sertanejos)

Um vídeo de quatro cabeças você encontra no Paraguai
Um Ballantines doze anos é feito em um mês só no Paraguai
Os carros que aqui são roubados
São encontrados lá no Paraguai
Nada existe de mais falso que um brasileiro
Cantando em Paraguai

Esta noche me roubaram a Paraty
Levaram pra fonteira para depenar
Lá tem una feira tupy-guarani
Pode cocaína, pode guaraná

Tem tênis Reebok made in Hong Kong
Sanyo, Mitsubishi lá de Corumbá
Ponte da Amizade onde tudo pode
Pode cocaína, pode guaraná
Ponte da Amizade onde tudo passa
Caminhão e Kombi, Brasília e Passat

Refrão: Contrabando vem, Contrabando vai
E a gente vai levando, carregando tudo
Para o Paraguai (3 vezes)

1. Vídeo publicado por Marcia de Oliveira, filmado no Espaço Melograno, São Paulo – 20/09/2010 – Projeto HarmonizaSom – Três do Língua e Jica Y Turcão – Tudo Para o Paraguai

http://www.youtube.com/watch?v=qVG86XhEOsY&feature=relmfu

2. Vídeo publicado por GRAZYSTIVAL – Lingua de Trapo – Tudo para o Paraguai – Show em Santo André 22/08/2010

http://www.youtube.com/watch?v=4B_xWh-8OOk

Veja a repercusão de tal obra brasileira na mídia paraguaia: http://www.abc.com.py/nacionales/grupo-musical-brasileno-se-burla-de-paraguay-365510.html

– Materia difundida pela Radio Cultura FM sobre discriminação dos paraguaios e sua cultura no Brasil:

– As marcas do preconceito no jornalismo brasileiro e a história do Paraguay Ilustrado, escrito por Mauro César Silveira http://revcom2.portcom.intercom.org.br/index.php/rbcc/article/viewFile/3313/3122

– Para denunciar sites na internet com conteúdos discriminativos, racistas, que ofendam, denigram a nacionalidade paraguaia e ao Paraguai, favor entrar em contato com a Policia FederalDenúncias – Polícia Federal – Brasil  e com a: http://www.safernet.org.br/site/denunciar

– LEI (EM VIGOR) CONTRA O PRECONCEITO RACIAL – Racismo é ilegal e dá tranca dura. Denuncie! Lei Federal nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989 – Define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor, de acordo com a nova redação dada
pela Lei nº 9.459, de 13 de maio de 1997Artigo 1º: Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.Artigo 20º: Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. Pena – reclusão de um a três anos e multa.Racismo, xenofobia e intolerância sexual ou religiosaPodem ser definidas como prática, indução ou incitação de preconceito de raça, cor, etnia e religião. O crime está previsto no artigo 20 da Lei nº 7716/89, com pena de reclusão, que pode variar de 1 a 3 anos e multa. Se for cometido por intermédio dos meios de comunicação (como a Internet), a pena pode ser agravada de 2 a 5 anos e multa, conforme o parágrafo 2º da mesma Lei.

– Código Penal Brasileiro

Caluniar: é atribuir a alguém, falsamente, um fato definido como crime. A calúnia está prevista no artigo 138 do Código Penal Brasileiro, com pena de detenção de 6 meses a 2 anos e multa.
Difamar: é levar ao conhecimento de outras pessoas fato ofensivo à reputação de alguém. A difamação está prevista no artigo 139 do Código Penal Brasileiro, com pena de prisão de 3 meses a 1 ano e multa.
Injuriar: é insultar, ofender a dignidade ou a honra de alguém, sem apontar especificamente as circunstâncias pejorativas. A injúria está prevista no artigo 140 do Código Penal Brasileiro, com pena de detenção de 1 a 6 meses ou multa.

DERECHOS AUTORALES
Publicar material protegido por direitos autorais, fotos ou textos sem autorização do autor ou de seu representante legal, fotos sem autorização dos fotografados ou distribuir arquivos de som sem autorização de pessoas ou empresas responsáveis.

FALSA IDENTIDADE
É atribuir a si próprio, ou a outra pessoa, falsa identidade com o intuito de obter vantagem própria ou alheia, ou ainda para causar dano a alguém. A falsa identidade está prevista no artigo 307 do Código Penal Brasileiro, com pena de detenção de 3 meses a 1 ano ou multa, se o fato não constituir elemento de crime mais grave.

A imagem paraguaia no Brasil: o caso do “cavalo paraguaio”

O jornalismo brasileiro associa o Paraguai com a imoralidade. A televisão relaciona o Paraguai com a falsificação, o contrabando de produtos estrangeiros, a violência, a corrupção, a produção e o tráfico de drogas, o esconderijo de traficantes, destino de carros roubados etc. Faz muito tempo que o Paraguai tem servido para opiniões desfavoráveis, esteriótipos na imprensa brasileira. Segundo o Prof. Dr. Mauro César Silveira: “No século XIX, o jornal Paraguay Illustrado, produzido na corte de Dom Pedro II, apresentava charges que disseminavam estereótipos em relação ao país guarani e ao seu povo. Na primeira década do novo milênio, ainda são visíveis as marcas do preconceito no Jornalismo brasileiro. Uma análise do discurso da mídia nacional mostra que antigas idéias-imagens avançaram através do tempo e, mesmo adquirindo novos contornos e significados, mantêm uma conotação extremamente negativa do Paraguai, na maioria das vezes, associado à falsificação e aos negócios escusos e apresentado como o país sul-americano menos qualificado – o indesejado e autêntico fundo do poço”.

(web:  http://revcom2.portcom.intercom.org.br/index.php/rbcc/article/viewFile/3313/3122)

Conforme a informação disponível na Internet:Cavalo paraguaio é uma gíria utilizada no futebol brasileiro para designar equipes ou jogadores que tenham uma boa atuação no começo de um campeonato, ou mesmo em uma partida, e a seguir decaem de modo a serem superados pelos demais. Web: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cavalo_paraguaio).

No futebol, o jornalismo esportivo parece discriminar o Paraguai pelo uso de alguns termos.

Alguns exemplos retirados das páginas brasileiras mais respeitadas dos maiores veículos de comunicação da imprensa brasileira:

FOLHA DE SÃO PAULO: Alckmin é “cavalo paraguaio”, diz líder do governo (web: (web:http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u733055.shtml);

Grupo Abril (responsável pela publicação da Revista Veja, a mais famosa do Brasil): O volante Chico acredita que foi mais uma boa atuação de todo o time, mostrando que o Atlético-PR não é um ‘cavalo paraguaio’ nessa arrancada após a Copa do Mundo. (…).(web: http://placar.abril.com.br/brasileiro/atletico-pr/noticias/mesmo-buscando-tres-pontos-furacao-se-contenta-com-empate.html);

O ESTADO DE SÃO PAULO: Ponte espera provar que não é ””cavalo paraguaio””(web: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20080302/not_imp133532,0.php

O acesso a uma educação de qualidade é um grande desafio no Brasil. Sem ter o devido connhecimento sobre o Paraguai, os brasileiros são facilmente manipulados, levados a crer em idéias negativas, ofensivas sobre o Paraguai. Para o Supremo Tribunal Federal (STF), do Brasil: “As liberdades públicas não são incondicionais, por isso devem ser exercidas de maneira harmônica, observados os limites definidos na própria CF (CF, art. 5º, § 2º, primeira parte). O preceito fundamental de liberdade de expressão não consagra o ‘direito à incitação ao racismo’, dado que um direito individual não pode constituir-se em salvaguarda de condutas ilícitas, como sucede com os delitos contra a honra. Prevalência dos princípios da dignidade da pessoa humana e da igualdade jurídica.” (HC 82.424, Rel. p/ o ac. Min. Presidente Maurício Corrêa, julgamento em 17-9-2003, Plenário, DJde 19-3-2004.)(web: http://www.stf.jus.br/portal/constituicao/constituicao.asp).

Os judeus conseguiram no STF a seguinte decisão judicial: “Habeas corpus. Publicação de livros: antissemitismo. Racismo. Crime imprescritível. Conceituação. Abrangência constitucional. Liberdade de expressão. Limites. Ordem denegada. Escrever, editar, divulgar e comerciar livros ‘fazendo apologia de ideias preconceituosas e discriminatórias’ contra a comunidade judaica (Lei 7.716/1989, art. 20, na redação dada pela Lei 8.081/1990) constitui crime de racismo sujeito às cláusulas de inafiançabilidade e imprescritibilidade (CF, art. 5º, XLII).” (HC 82.424, Rel. p/ o ac. Min. Presidente Maurício Corrêa, julgamento em 17-9-2003, Plenário, DJ de 19-3-2004.)(web:  http://www.stf.jus.br/portal/constituicao/artigoBd.asp?item=31)

A obrigação e o direito de qualquer governo é cuidar da sua imagem internacional. As autoridades paraguaias podem seguir o exemplo da comunidade judaica, para defender a imagem do Paraguai no exterior. Com respeito à dignidade e à honra do país guarani, sugere-se ao Governo do Paraguai:

1) Exigir que o Brasil cumpra as leis e os tratados internacionais de Direitos Humanos, e punir a imprensa que faz apologia a idéias ofensivas e discriminatórias contra a comunidade paraguaia;

2)Retirar conteúdos discriminatórios vinculados em Internet  (exemplo na web: http://desciclo.pedia.ws/wiki/Paraguai

3) Acionar na justiça a imprensa responsável por violações, na área cível (direitos à indenização, à imagem, à honra, à resposta, do Estado Paraguaio); e criminal (o crime de racismo é inafiançável e imprescritível, segundo o Art. 5.º, XLII, da Constituição do Brasil);

4) Recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Corte Suprema do Brasil, à Diplomacia, e se ainda for necessário denunciar o caso do “cavalo paraguaio”, e outras violações jornalísticas, à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

O Paraguai, como todos os outros países, tem seus problemas. Mas não justifica a imprensa do Brasil tratá-lo com imoralidade. O caso do “cavalo paraguaio” é apenas um dos muitos casos. Será uma decisão histórica à dignidade e à imagem do povo paraguaio, se o Paraguai ganhar a causa na Justiça.

Até quando as autoridades paraguaias estarão caladas? Sem atuar?

Ficam aqui registradas estas perguntas. O dinheiro das indenizações, por exemplo, poderá ser investido na melhoria das condições de vida do povo paraguaio. Mas se nada se faz, os esteriótipos e a discriminação continuarão abalando profundamente a imagem internacional do país

Escrito por: Tácito Loureiro, Advogado (OAB-SP n. 283455) no Estado de São Paulo,  Brasil. Licenciado em Letras e Bacharel em Direito. E-mail: tacito.adv@hotmail.com

– La imagen paraguaya en Brasil: el caso del “caballo paraguayo”

El periodismo brasileño asocia a Paraguay con la inmoralidad. La televisión relaciona a Paraguay con la falsificación, con el contrabando de productos extranjeros, con la violencia, la corrupción, la producción y el tráfico de drogas, escondite de traficantes, destino de autos robados etc. Ya hace mucho tiempo que Paraguay es objeto de opiniones desfavorables en los esteriotipos de la prensa brasileña.

Según el Prof. Dr. Mauro César Silveira: “En el siglo XIX, el periódico Paraguay Ilustrado, producido en la corte de D. Pedro II, mostraba caricaturas que diseminaban prejuicios sobre el país guaraní y su pueblo. En la primera década del nuevo milenio, aún son visibles las marcas del prejuicio en el periodismo brasileño. Un análisis del discurso de los medios de comunicación nacionales muestra que antiguas ideas-imágenes avanzaron a través del tiempo e incluso adquirieron nuevos contornos y significados, mantienen una connotación extremamente negativa del Paraguay, en la mayoría de los casos, asociado a la falsificación y a los negocios oscuros y presentado como el país sudamericano menos calificado: el indeseado y auténtico fondo del pozo” (1)

De acuerdo a información disponible en Internet: “Caballo Paraguayo” es un dicho conocido en el fútbol brasileño. Se usa este término para designar a los equipos que comienzan bien el campeonato, pero con el pasar del tiempo pierden los partidos hasta terminar en el último lugar de la competición. (…).” (2)

En el fútbol, el periodismo deportivo parece discriminar a Paraguay con el uso de algunos términos. Algunos ejemplos extraídos de las páginas brasileñas más respetadas y con mayores vínculos de comunicación de la prensa brasileña: Diario FOLHA DE SÃO PAULO, Alckmin es “caballo paraguayo”, dice líder del gobierno (3);  Grupo Abril (responsable de la publicación de la Revista Veja, la más famosa de Brasil): “El volante Chico cree que fue sin embargo una buena actuación de todo el equipo, mostrando que el Atlético-PR no es un ‘caballo paraguayo’ en esa arrancada después de la Copa del Mundo. (…).”  (4) ; Diario O ESTADO DE SÃO PAULO: (Ponte) espera probar que no es “caballo paraguayo” (5)

El acceso a una educación de calidad es un gran desafío en Brasil. Sin tener el debido conocimiento sobre Paraguay, los brasileños son fácilmente manipulados, llevados a creer en ideas negativas y  ofensivas sobre Paraguay.

Para el Supremo Tribunal Federal (STF), de Brasil: “(…) El principio fundamental de la libertad de expresión no consagra “el derecho a la incitación al racismo” dado que es un derecho individual no puede estar en la salvaguardia de la conducta ilegal, como sucede con los delitos contra la honra, la prevalencia de los principios de la dignidad humana y la igualdad jurídica. (6)

Los judíos han conseguido en el  STF la siguiente ley: “Escribir, editar, divulgar e comercializar libros destacando ideas ofensivas y discriminatorias contra la comunidad judía (…) constituye un delito sujeto a las normas sobre imprescriptibilidad y no la libertad bajo fianza (…).”.

La obligación y derecho de cualquier gobierno es el de cuidar su imagen internacional. Las autoridades paraguayas pueden seguir el ejemplo de la comunidad judía, para defender la imagen de Paraguay en el exterior.

Con respecto a la dignidad y  la honra del país guaraní, se sugiere al gobierno de Paraguay: 1) Exigir a Brasil el cumplimiento de las leyes y los tratados internacionales de Derechos Humanos, y sancionar a la prensa que hace apología de ideas ofensivas y discriminatorias contra la comunidad paraguaya (por ejemplo: prohibir el uso del mencionado término “caballo paraguayo”);

2) retirar contenidos discriminatorios de Internet (ejemplo en la web: http://desciclo.pedia.ws/wiki/Paraguai );

3) demandar en la justicia a la prensa responsable por violaciones, en el área civil (derechos a la indemnización, a la imagen, a la honra, a la respuesta, del Estado Paraguayo); y en el área criminal (el crimen de racismo no admite fianza y es  imprescriptible, según el Art. 5.º, XLII, de la Constitución de Brasil;

4) recurrir al Supremo Tribunal Federal (STF), la Corte Mayor del Brasil; a la Diplomacia, y si es necesario denunciar el caso del “caballo paraguayo”, y otras violaciones periodísticas, a la Comisión Interamericana de Derechos Humanos (CIDH).

Paraguay como otros países tienen sus problemas, pero eso  no justifica que la prensa del Brasil lo trate con inmoralidad. El caso del “caballo paraguayo” es apenas uno de muchos casos. Si gana el caso Paraguay, sería una decisión histórica para la dignidad e imagen del pueblo paraguayo.

¿Hasta cuándo las autoridades paraguayas estarán calladas? ¿Sin actuar?

Aquí quedan planteadas estas preguntas. El dinero de las indemnizaciones, por ejemplo, podría ser invertido en la mejoría de las condiciones de vida del pueblo paraguayo. Pero si nada se hace, los estereotipos y  la discriminación continuarán  afectando profundamente la imagen internacional del país.

Escrito por: Tácito Loureiro, abogado paulista (OAB-SP n. 283455) – Brasil. Licenciado em Letras y Derecho. E-mail: tacito.adv@hotmail.com

Anúncios

53 respostas para Discriminação no Brasil

  1. EDUARDO A. B. ANTUNES disse:

    Sou brasileiro, casado com uma paraguaia, confesso que fui um dos idiotas e incultos que falam fundamentado em folclore e ignorância popular, conheci o Paraguai e tive o privilégio de conhecer esta terra em Maio de 2008, mês em que se comemora o dia das mães, e a independência paraguaia, andei nos onibus lotados de Itapua de madrugada antes do dia nascer e vi no olho de cada paraguaio o amor e alegria de ostentar o tricolor no peito e cantar ” unión y libertad” todas as manhãs, me apaixonei e me envergonhei, pois nós brasileiros já não temos mais este amor, pesquisas mostram que nem mesmo as autoridades políticas sabem cantar nosso hino, e se fosse só isso, seria ótimo; vivemos no país dos mensalões, propinas e corrupções vergonhosas, pirataria, falsificações, chacinas, etc, afinal, é a velha história de querer esconder seus defeitos, apontado os dos outros, sem falar que somos diretamente responsáveis pela atual situação paraguaia afinal, nossos “heróis” da TRIPLICE ALIANÇA nada mais foram do protagonistas de um covarde “gancho” como se diz no Alegrete, que dizimou covardemente o então mais próspero pais latino.
    Vergonha é o que nos toca quando o tema é Paraguai, e antes de qualquer coisa como disse Jesus, antes de falarmos do Paraguai, Colombia ou qualquer outro país – olhemos nossa história, cheia de “heróis”, não tão valorosos como nos contam nas escolas – e que atire a primeira pedra quem não tiver pecado.
    E ao Paraguaiteete, se me permitem, não percamos tempo com essa classe de gente, pois se respondermos aos tolos segundo sua tolice, nos tornamos iguais, sigam sim, mostrando nosso amor e paixão pela cultura, pela terra e acima de tudo pelo povo paraguaio, pois os tolos, segundo o sábio Salomão, o fim deles é ruina e miséria.

    Avante Paraguai, perdão por nossa covardia, traimos nossos irmãos de terra em nome de uma bandeira européia que nos explorava e dominava .
    e Dios Bendiga el Paraguay.
    Eduardo Antunes, pastor

  2. Gustavo dos Santos disse:

    Parabéns pela iniciativa, porém, gostaria de fazer alguns comentários. Tão ruim quanto o preconceito veiculado pela imprensa brasileira em relação aos paraguaios são os comentários insultuosos em relação ao Brasil que podem ser vistos em sites de órgãos de imprensa paraguaios. É muito comum vermos paraguaios chamando os brasileiros de kambas (macacos), favelados, dizendo que o Paraguai deveria declarar guerra ao Brasil, para recuperar os territórios perdidos durante a Guerra da Tríplice Aliança, hoje densamente povoados por brasileiros, os quais não têm culpa nenhuma dos desatinos cometidos pela elite governante so século XIX. Gostaria que a justiça paraguaia também punissse essas pessoas. Espero que compreendam o meu desabafo, fui recentemente insultado em um desses fóruns, por ser brasileiro.

    • Edu Brítez disse:

      kamba nao significa macaco, muchas personas reaccionan así justamente por la forma en la que ustedes nos ven, pero no importa, eso ya esta cambiando, peace my brazilian
      friend!

  3. Alcides Martinez disse:

    O povo paraguaio só deixará de sofrer discriminação em outros países quando o Paraguai for um país mais desenvolvido. O que vocês têm feito para isso?

  4. Alcides Martinez disse:

    Prezada Arte e dintorni di Sandra Droghei, De todos aí que você mencionou que sofreram discriminação, você parece que se esqueceu de um detalhe: são povos de países subdesenvolvidos. Sim ou não? Ou seja, você quis discordar do meu ponto de vista e acabou confirmando ele.

  5. Mabel Cubas disse:

    Eu concordo com a opinião do senhor Alcides Martinez e penso que ele foi no ”X” da questão. Porque os norte-americanos, italianos, franceses, alemães, e outros povos de países ricos, são geralmente bem tratados por onde passam aqui na América do Sul. E, como estamos aqui, para aqui vale a opinião do senhor Alcides. Sem mudanças econômicas, que levem a distribuição de renda para o povo paraguaio, a luta contra o racismo sempre perderá. Eu sou socióloga e vivi em diversos países e sei muito bem disso. Meus parabéns, Alcides Martinez!

    • Ramirez disse:

      Eu não me apreçaria em dar parabéns a ninguém por aqui dessa forma, isso poderia ser interpretado como só mais uma forma sutil de preconceito contra os Paraguaios, esta pagina tem como proposito buscar a equidade entre os povos e não a exaltação dos conhecimentos acadêmicos das pessoas, mesmo porque a ciência esta em constante evolução e não e imutável portanto o que para você possa ser certo hoje poderá ser comprovada totalmente equivocada amanha. Exaltar os conhecimentos dessa forma e colocar-se em evidencia e arriscando a que suas ideias sejam expostas. Por exemplo eu também já tive minha cota de experiencia em viagens pelo mundo e posso lhe assegurar que entre os Europeus o racismo existe como existe no Brasil e em qualquer outra parte do mundo, Italiano e Racista contra os Franceses e Alemães e vice versa. Ingleses e Espanhóis não gostam dos Franceses. Japão ainda com toda a sua riqueza e cultura milenar são sempre motivo de chacota por onde queiram que eles vão e não importa quanto dinheiro eles tenham serão sempre vistos como bichos raros porque são diferentes fisicamente dos europeus e sul-americanos. Então a vossa teoria antes mesmo de ser uma teoria plausível já nasce morto. Eu sugiro que voltem para a universidade e façam mais pesquisas antes de ostentar a sua formação acadêmica senhora Mabel Cubas

  6. Lisandro Jara disse:

    Senhoras e senhores, o racismo sempre vai existir, e não vai acabar, isso é uma utopia, só que é um grande absurdo o que fazem os meios de comunicação aqui no brasil, estimulando a discriminação do povo paraguaio, o racismo existe de americanos com os Brazucas, mas é muito raro algum meio de comunicação americano estimular isso. A luta é a injusta e cobarde estimulo a discriminação pelo meios de comunicação… È só isso!!!!…no Paraguay o Argentino a veces é discriminado por ser 171 , mas nunca apareceu em algum medio de cominicação como tal…..o problema é o Brasil, historicamente sempre se encarregou de perjudicar seu vizinho que antes era potência e hoje é o seu vizinho pobre..é mais facil estimular ao povo brasilerio a associar o Paraguai com falsificação de que associá-lo com o Pais desenvolvido que ajudaram a destruir…. Outro exemplo, na argentina muitos paraguaios sofren discriminação do povo portenho, mas isso não é estimulado pelos meios de comunicação …a luta dos paraguaiaos é contra esse estimulo que faz a midia do Brasil…Só….o resto é nosso problema..

  7. Raúl Quintana Ruiz disse:

    Respondiendo a la pregunta “O povo paraguaio só deixará de sofrer discriminação em outros países quando o Paraguai for um país mais desenvolvido. O que vocês têm feito para isso?”

    Que se defina mejor la palabra “vocês”. Bien que le podría preguntar a un ingeniero que trabaja en la Embraer o Petrobras qué hace en su día a día para evitar la violencia, combatir la discriminación racial o la corrupción.

    Creo que todos tenemos un grado de culpa ya que permitimos o toleramos ciertas prácticas ilegales además de ser un pueblo políticamente apático.

    Existen grupos de poder ya sea de sectores públicos o privados a quienes les interesa mantener la situación así como está para asegurar sus privilegios y tienen los MEDIOS para comprar/convencer a una gran masa de gente desinformada y con poca capacidad crítica que exija el establecimiento de un verdadero Estado de Derecho. Hubo un gobierno militar de 35 que trastocó todos los valores tan caros a los paraguayos como la solidaridad entre vecinos, parientes e impuso la delación y la corrupción generalizada; una herencia que demorará en desaparecer ya que los cambios se están haciendo de manera gradual teniendo como norte una buena gestión del Estado.

    Teniendo en cuenta lo anterior ¿Qué hemos estado haciendo? El Paraguay es signatario de varios tratados sobre Derechos Humanos a los cuales se sometió cuando estos fallaron en contra del Estado paraguayo, se establecieron agencias de regulación como Contrataciones Públicas, Contraloría Gral. de la República, Tribunal de Enjuiciamiento de Magistrados y, sobre todo, los archivos de los 35 años de gobierno dictatorial están ABIERTOS al público, inclusive, con un reciente museo virtual de una calidad solo comparable a lo hecho con el Holocausto judío.

    Se han hecho cosas, pero el proceso es lento y largo y ha habido muchos tropiezos. Creo que la nueva generación de paraguayos es bastante más crítica y se expresa más, con eso podemos tener un suspiro de alivio porque no todo está perdido.

    Y por favor, que no nos den lecciones. Todos los países de la región sufrimos de estos males, en algunos más y en otros menos. Tenemos más en común de lo que piensan.

  8. Fábian Areco disse:

    A verdade é que acontece que a formação profissional dos jornalistas tem sido, historicamente, no Brasil e no Paraguai, pobre. Quando um jornalista tomou a coragem de escrever, por exemplo, um livro específico sobre o assunto? Quando? Por quê? Tem jornalista, por exemplo, que acredita que vai acabar com o racismo sendo racista também, jogando um povo contra o outro (Brasil x Paraguai, Paraguai x Brasil). O mundo está cheio disso: de pessoas incompetentes que pensam pouco para falarem e escreverem. O negócio é que o povo paraguaio ”tem cara de índio”, por causa da ascendência indígena forte no Paraguai, e o povo brasileiro, ainda hoje, é racista contra os índios. Não o povo brasileiro em geral, mas boa parte dele. Porque o padrão de beleza predominante no Brasil é o padrão europeu. Então, quanto mais a pessoa for parecida com um europeu, quanto mais branca ela for, e menos traços de negros, indígenas e orientais ela tiver, mas a sociedade brasileira irá considerá-la bonita. As novelas da Rede Globo de televisão colaboram para isso, posto que colocam os brancos em posições de destaque na sociedade, os negros geralmente como empregados domésticos e o Paraguai como “país da corrupção, do crime, do narcotráfico…”, enfim, de tudo o que não presta, e é, portanto, condenável. Admiro os raros brasileiros que, mesmo tendo nascido em um país tão racista, amam o Paraguai: são pessoas conscientes, maravilhosas… Estas pessoas merecem o nosso mais profundo sentimento de respeito e admiração, independentemente de serem brasileiras. Admiro também os paraguaios que sejam capazes de enxergarem quantas belezas existem no Brasil, como é rica a cultura brasileira, apesar do racismo existente no País.

  9. luiz gustavo disse:

    Tive o prazer de conhecer o PY nesse ano e me encantei!
    Com certeza existem pessoas preconceituosas e que me envergonham, e voces tem todo direito de usar a legislacao brasileira para combater isso. Mas saibam que esse pensamento racista nao e o pensamento geral do Brasil.
    Notei que nos comentarios fala-se bastante sobre a guerra (de 1864!), o que eu nao aacredito ser motivo do subdesenvolvimento do PY. Vejam a grande quantidade de paises que foram destruidos recentemente por guerras e hoje sao muito desenvolvidos. Temos grandes exemplos na Asia e na Europa.
    Pelo que eu notei, voces sao paraguaios e vivem no Brasil. Entao desejo tudo de bom, que voces conhecam o verdadeiro povo brasileiro, que sao como voces, educados e amaveis.
    SORTE!

  10. Tácito Loureiro disse:

    Olá! Tudo bem!? Eu sou brasileiro e amo o Paraguai. A minha mãe também. As minhas irmãs também. De maneira que o preconceito e a discriminação contra o povo paraguaio existente no Brasil não atinge a todos os brasileiros. Mas existem pessoas boas e conscientes no país e que respeitam os Direitos Humanos. Ainda, no Paraguai, assim como no Brasil, existem coisas boas e ruins. Mas nada justifica qualquer tipo de preconceito ou discriminação. Penso que o desenvolvimento dos países latino-americanos ou acontecerá a partir de uma união entre eles ou não acontecerá. Somos povos, portanto, irmãos, com uma série de problemas sociais parecidos e parte das soluções para eles virá da nossa integração, o que exige um respeito recíproco.

  11. Prezados senhores,

    Creio que a discriminação está relacionada à ignorância, sim, mas tem mão e contra-mão.

    A maioria dos brasileiros que “conhece” o Paraguai apenas visitou Ciudad del Leste – que conheci quando ainda se chamava Puerto Pte. Stroessner. Era uma cidade suja (soube que hoje está bem melhor) na qual fui vítima de maus comerciantes e muito mal tratado por quase todos. Fiquei com uma péssima impressão do Paraguai e dos paraguaios.

    Muitos anos depois conheci Asunción, cidade limpa e muito agradável na qual fui muitíssimo bem tratado em quase todos os lugares. Gostei tanto que cheguei a comprar livros sobre a cultura paraguaia e o idioma guarani – na Expolibro, livraria que existia na Plaza Uruguaya. Hoje, sou um consumidor de terere – que conheci em Asunción.

    Passei a gostar muito do Paraguai, mas há um segundo aspecto negativo: o povo paraguaio parece ser extremamente avesso a contatos com brasileiros. Certa vez me inscrevi em um grupo de discussões composto de paraguaios, no qual havia um outro brasileiro. Apresentei uma questão ao grupo e nenhum paraguaio me respondeu; o outro brasileiro, em contato direto, comentou sobre essa característica dos paraguaios e me fez a “pergunta crítica”: alguém respondeu à sua pergunta??? A resposta, evidentemente, era “NÃO”… Um paraguaio me desinscreveu do grupo contra minha vontade, problema que resolvi junto ao administrador do grupo (que identificou o “hacker”), mas pouco depois eu mesmo resolvi abandoná-lo.

    Hoje, 20 anos depois, estou formado em Direito e realizando uma pesquisa de Direito comparado na qual seria muito importante adquirir livros sobre o Direito do Paraguai. Escrevi para um conhecido e importante jurista paraguaio, da Universidad Nacional de Asunción, que não me respondeu. Escrevi, então, para a administração da Facultad de Derecho daquela importante universidade, mas também não obtive qualquer resposta – passados 2 meses…

    Ficou-me forte a impressão de que, muito evidentemente, o povo paraguaio é avesso ao contato com brasileiros – um contato que poderia ser salutar a ambos os povos, mas me parece impossível. Espero, sinceramente, estar equivocado.

    Cordialmente,

    Edilson FRANCIONI Coelho.
    Rio de Janeiro – Brasil

  12. Gustavo Martins disse:

    É nessas horas que tenho vergonha de ser brasileiro! Muitos brasileiros tem uma idéia equivocada do Paraguay por causa de uma cultura errada plantada pela mídia e por pessoas que só falam dos pontos negativos do Paraguay e que nunca pisaram lá, sendo que aqui nós temos os mesmos problemas ou as vezes bem piores. Caros hermanos, nem todos pensam da mesma forma e aliás muitos brasileiros dependem do forte comercio paraguaio de CDL para manter as suas famílias no Brasil. Tenho admiração pelo Paraguay, terra de pessoas trabalhadoras como todos nós latinos e tenho orgulho de ter nascido no dia em que se comemora a independência paraguaya 15 de Maio e como brasileiro peço desculpas por todas as pessoas que insistem em falar tanta besteira sem mesmo conhece-lo. Muita PAZ a todos!

  13. Rafa Flores disse:

    DIOS perdónalos por que no saben lo que dicen…

  14. Santos disse:

    O ParaGAY é um colonia do Brasil e estão com raivinha por causa daquela guerra é? Danem se vcs começaram essa guerra e pagaram o preço, o Brasil deveria ter anexado o Paragay. hahaha

    Vai pro inferno bando de falsificadores!!!

  15. Priscila Secco disse:

    Por que vocês não mostram aqui mais felicidades do que tragédias? Ficar só enxergando o lado ruim da vida é algo péssimo à autoestima!

    • Jacinto leite disse:

      Priscila, a resposta e muito simples, esta pagina foi criada para combater a indiferença e a ignorança das pessoas, se vc esta procurando sitios na internet que possam preencher alguma lacuna em sua vida …vai para Youtube e veja pegadinhas do SBT ou do Faustao..ou veja o video das piadas do Ari Toledo..tem gosto para tudo na web. Pelo seu comentario da para perceber que voce nao entendeu porque foi criada esta pagina nao e verdade? Se voce nao puder contribuir com um comentario sano ou edificante te sugiro que nao perca tempo escrevendo asneiras. Um abraço de tamandua para oce cheia de autoestima e felicidade…!!

  16. israel disse:

    sou brasileiro e fico muito triste que ainda nos dias atuais exista esse tipo de preconceito totalmente injustificado com nossos irmãos paraguaios, deixo aqui o meu forte abraço a todos paraguaios que merecem todo o respeito por sua historia de lutas e por ser um país de cultura admirável.

  17. ganil disse:

    EUUUUUUU QUE COISAAAA FEIAAA… CHE KUERAI LA BRASILERO KUERAGUI QUE SE HACEN EL DIOS… ACA VIENEN Y NADIE LE TRATA MAL Y ELLOS NOS HUMILLAN…

  18. Fernando Fernandes disse:

    Srs. Foi com lamento que li esta matéria e, eu, como simples cidadão Brasileiro, peço que aceitem minhas desculpas em nome dos mal informados e sem criatividade que usam o Paraguai (nome) para fazer piadas e brincadeiras. Outrossim, perceberam que a maioria dos recortes foi da Rede Globo e das suas coligadas? Pois é, Srs. Esta organização é o câncer do Brasil, é um lixo que gosta de comandar tudo!
    Mais uma vez, peço desculpas, e deixo meu caloroso abraço à todos os nossos irmãos Paraguaios!
    Sempre às vossas ordens,
    Fernando Fernandes
    ffssilva@yahoo.com.br

  19. Acho errado dois povos se xingarem, trabalhei com Paraguaios, mas as vzs leio coisas em sites ,principalmente a imprensa paraguaia também nos dirige todo tipo de insultos,nos xingam de macacos,ess tal “ABC” UM A TV DO pARAGUAY,declarou que não gosta de brasileiros,quando deveria incentivar a boa convivência, mas não acho que os brasileiros tratem tão mal nossos amigos paraguaios,só acho que muita gente coloca mais pilha nisso, e nos falam muito mal de brasileiros também. Seria interessante que os paraguaios também vivessem mais o presente,e esquecessem o que passou,afinal que culpa tivemos pelas loucuras dos nossos antepassados,tanto brasileiros como paraguaios,acho que há igualdade em ofensas.

  20. wagner disse:

    Eu na verdade estou pensando em comprar um carro no Paraguai, porque a republiqueta de bananas chamada Brasil cobra impostos muito altos sobre carros vendidos aqui. Por isso é quase certo que vou necessitar da ajuda de algum cidadão paraguaio para concretizar o negócio. Não ligo a mínima para nacionalidades. Basta lembrar que o Brasil trata mal seus próprios cidadãos, pior ainda se for negro. Então qualquer brasileiro que fale mal de paraguaios, argentinos bolivianos etc é UM GRANDE IDIOTA.

  21. Gilmar Adelino disse:

    Realmente quem não conhece o Paraguai e seu povo tem ideias equivocadas.Sou da região de fronteira (Mato Grosso do Sul) e sei que tudo o que falam são inverdades.Nossos vizinhos sofreram com uma guerra no século XIX que devastou o país, o que aprendemos nas aulas de história e o que os nossos livros mostram são inverdades também.
    A nação mais desenvolvida da América do Sul protegia a produção local. Assim, a balança comercial era sempre favorável e a moeda era forte e estável. O Paraguai havia conseguido eliminar a oligarquia, a escravidão, a violência, a miséria e o analfabetismo. Era o único país sul-americano que tinha uma indústria de base. “O único que não tinha dívida externa ou interna. O único praticamente sem analfabetos”. A economia crescia sem a interferência de empréstimos estrangeiros. O desenvolvimento econômico autônomo e sustentado do Paraguai era uma exceção na América Latina, uma vez que os demais países recorriam freqüentemente aos banqueiros estrangeiros, notadamente aos ingleses. Enquanto os países aliados, contra os quais ele lutaria na guerra que estava por vir, “(…) tinham suas economias voltadas para o mercado externo, a economia paraguaia voltava-se muito mais para o atendimento das necessidades de seus cidadãos.
    Durante o século XIX, a Inglaterra foi a potência hegemônica no mundo, ampliando constantemente seu império colonial e impondo sua vontade pela força, especialmente nos países ao sul do Equador”.A independência dos países latino-americanos, com a honrosa exceção do Paraguai, o único destes ainda não penetrado pelo capital inglês, não era completa, pois eram dependentes do capitalismo mundial.

    A guerra ocorreu num período caracterizado pela expansão da produção e das trocas inglesas e pelo aumento do número dos investimentos britânicos na região. No estuário do Prata, os ingleses realizavam intenso comércio, “(…) exportando seus produtos industrializados e importando matérias-primas. Na segunda metade do século XIX, do ponto de vista econômico, a Inglaterra substituiu Portugal na condição de metrópole do Brasil.
    Os capitalistas ingleses estavam inquietos com o perigoso exemplo da experiência paraguaia de desenvolvimento, que poderia influenciar as políticas de outros países sul-americanos. Conseqüentemente, não foi por acaso que tais capitalistas estimularam e alimentaram a Guerra da Tríplice Aliança contra o Paraguai, financiando os aliados – Brasil, Argentina e Uruguai – com grandes empréstimos.
    Este país – o qual era o mais desenvolvido da América do Sul antes da guerra – ficou arrasado: sua população foi reduzida a uma pequena parcela e sua economia foi destruída. “Desde então o Paraguai não mais se recuperou, sendo até hoje um dos países mais pobres da América Latina”. (BARBOSA FILHO; STOCKLER; 1988; p. 38). Os vencedores implantaram o “livre-cambismo” e o latifúndio. Tudo foi saqueado e vendido: as terras e as propriedades estatais foram vendidas a capitalistas estrangeiros. Em poucos anos o Paraguai contraiu uma enorme dívida com os ingleses. O país, até mais que o Uruguai, ficou sob a influência e o controle do Brasil.
    Source(s):
    http://www.urutagua.uem.br//005/06his_mi

  22. Fábio Ribeiro disse:

    Parabéns aos amigos do Paraguaiteete pela iniciativa. Sou historiador e desde 2009 estudo a História paraguaia. Posso afirmar que é uma das mais ricas que já vi! O Paraguai é lugar fantástico! Também luto a cada dia para que esta imagem pejorativa seja destruída… Abraços.

  23. LINER DE SOUZA SANTOS disse:

    Sou contra qualquer tipo de preconceito, sobretudo com povos vizinhos e o povo paraguaio me pareceu muito solícito e hospitaleiro. Contudo, acho que o poder público paraguaio deva ser cobrado sobre alguns fatores. Em Ciudad del Este, uma cidade que lucra muito devido ao intenso comércio, parece que o poder público inexiste. Não há limpeza nas ruas e algumas construções dão a impressão que estão prestes a cair. Creio que a prefeitura deva se preocupar mais em manter a cidade limpa, organizada e tentar se livrar ao máximo da pirataria para assim destruir esse mito.

    • paraguaiteete disse:

      Obrigado pelo contato! Feliz 2014!
      Cidade do Leste existe como existe a pirataria vinda da China graças ao masivo público brasileiro. São 200 milhões de habitantes contra 7 milhões comprando e consumindo todos os dias.
      Cidade do Leste (15 quarterões dessa cidade), é só uma parte do Paraguai e aquí no Brasil isso é considerado como um todo.
      Contribuí fortemente também os estereotipos creados pela mídia e novelas brasileiras que estão presentes no subconciente da população.
      Pirataria tem na 25 de março e em muitos centros comerciais de cidades brasileiras sem que ninguém se escandalize, porq só cutucar o Paraguai por isso_
      A gente acha que tudo isso tem raízes históricas, papo de vencedor e de pais grande sob outro pequenho.

    • Mauro disse:

      Liner, você tem razão quando diz que a Prefeitura da cidade deveria fazer alguma coisa para melhorar o aspecto da cidade. E concordo também quando exclama que as pessoas deveriam aprender a cobrar o poder publico. Mas acho muito difícil ver alguma dia a cidade limpa e organizada, quando são milhares de pessoas que vão ali diariamente a fazer compras, tendo em vista que se nao me engano a cidade recebe muito pouco ou quase nada pelos produtos vendidos pelos comerciantes que na maior parte são sem notas fiscais. Se o município nao arrecada o suficiente o problema ira persistir. Quanto aos produtos piratas isso nunca sera resolvido enquanto existir gente que compra, e como se você esperasse que os traficantes do brasil deixassem de vender as drogas..todos sabemos que a policia os persegue e os mete na cadeia, mas todos sabemos que os que vão para a cadeia são os laranjas no brasil os colarinhos brancos estão todos no poder em outras palavras a Pirataria só vai acabar quando as pessoas se conscientizarem de nao comprar mais esses produtos. Quanto ao mito que você mencionou esse mito só existe na cabeça dos brasileiros..pois nenhuma outra população das Américas ou Europa tem esse conceito a respeito dos Paraguaios.Eu viajo pelo mundo atualmente estou residindo em Itália, e aqui tem uma grande comunidade e tenho a dizer que os Paraguaios são muito apreciados por aqui porque são talentosos e trabalhadores. Mas quando se fala de países Sul-Americanos por aqui todos adorariam conhecer o Brasil por causa da natureza…apesar da belezas do brasil, todos são conhecedores da miséria que existe no Brasil, da prostituição infantil, as favelas em torno as cidades. sem mencionar a violência por causa do intenso trafico de drogas. Então como pode notar Liner, infelizmente nenhum povo e perfeito ou esta isento de preconceitos mas nem por isso as pessoas usam o Brasil como o pais da imoralidade e da corrupção etc. Eu adoro o Brasil, tenho filhos Brasileiros e netos..moram num lugar lindo ali, mas confesso que estando longe deles, todas as noites oro para que eles estejam bem. Eu nunca falo mal do brasil as pessoas porque sei separar a erva boa da ruim. Infelizmente muitos brasileiros especialmente a mídia desse pais nao aprenderam ainda a importância da união dos povos

  24. Fabio disse:

    Aos paraguaios… O Brasil como única potência do hemisfério sul tem o dever para com os países vizinhos, no que diz respeito ao desenvolvimento socio-econômico de suas nações, não nos vejam como imperialistas, se nós crescemos vocês também crescem, há muitos brasileiros descentes e amigos, vocês sabem disso quanto vem ao PR, SC, RS etc… e o respeito ás leis brasileiras é obrigação dos paraguaios quando vem ao Brasil, assim como deve ser quando brasileiros vão ao Paraguai. Sonho com o dia que todos nos orgulharemos de nossas conquistas diminuindo sobretudo a pobreza e ignorância que ainda assola nossa terra… eu e muitos outros brasileiros não concordamos com muita coisa de nossos governantes de Brasilia, vamos ver a resposta nas urnas nesse final de ano… orem por nós brasileiros, que o mesmo fazemos com vocês… avante Brasil! avante Paraguay! avante América do Sul. União sulamericana pelo desenvolvimento pleno já!

  25. Nina Wenóli disse:

    Sinto vergonha daquilo que li e peço desculpas ao querido país irmão. Conheçõ a capital e mais algumas cidades, e amo o Paraguai.

  26. ignacio disse:

    Y despues cuando le decis macaco llaman a la policia y la prensa llorando acusandote de que le as dicho macaco

  27. Paul disse:

    Isso existe na maioria dos países e culturas e se chama etnocentrismo, nao tem porque alguem ficar ofendido como isso… Eu sou brasileiro e moro no exterior a 8 anos e já ouvi diversas piadas sobre o Brasil e as vezes até dou risada, nao porque odeio minha terra, mas porque sei que aquilo é só brincadeira, um “cliche”, uma piada boba e etnocentrista… Nao fiquei ofendido quando os Simpsons falaram mal do Brasil (também falaram do Paraguai, da Argentina, da Bolivia e do Uruguai)… sao comentarios bobos e que nao ofendem a uma cultura forte (como a Paraguaia) Eu nao acho que isso seja discriminacao ou preconceito, todas sao piadas bobas e que nao tem capacidade para agredir. É o que eu acho!!

    Gostei muito do site, já visitei várias vezes o Paraguai e este site me trouxe boas lembrancas!!

    • Mauro disse:

      Paul, eu penso como você a respeito de algumas coisas pelas quais passei morando no Brasil..como vc mesmo diz..as piadas eram costumeiras..mas o que me ajudou a não me sentir ofendido foi olhar essas pessoas com um olhar singelo sem preconceitos..entender a formação cultural,de quem proferia algumas coisas que poderiam ser considerados ofensivos..porque no final mostravam ser pessoas afáveis e hospitaleiras. Mas importante e não esquecer que algumas pessoas são muito mais suscetíveis e merecem ser respeitadas da mesma forma. Bom para quem sabe lidar com o etnocentrismo e ruim para quem não sabe. Porem como vivemos debaixo do contrato social e existem leis especificas que podem ser convocadas quando alguém se sente ofendido melhor seria evitar e viver debaixo de princípios de respeito e seriedade especialmente quando se trata de argumentos que podem ser interpretados como menoscabar ou diminuir a dignidade de um outro ser humano. Mas concordo com você que seria bem melhor si cada um de nos pelo bem maior da paz soubéssemos lidar com as piadas ou clichês de forma mais inteligente como você mencionou.

  28. Marcelo disse:

    Sou brasileiro e moro em SP. Me envergonho de muitas pessoas daqui. Me envergonho muito, aliás. A falta de educação brasileira é uma aberração. Acho que os paraguaios não deveriam se sentir ofendidos, já que quem está na merda hoje somos nós, os brasileiros. Os visitei recentemente e tenho negócios no Paraguai. Por mim, honestamente, mudaria hoje para Assunção.
    Peço desculpas ao povo paraguaio por esses brasileiros mal educados. Nossa mídia, políticos, população civil comum, nada mais é do que o reflexo de uma sociedade totalmente falida.
    Melhor verificar o IP desses babacas que xingam os paraguaios e entrar com processo contra eles. Esse malditos deveriam ser presos.

  29. Leonardo disse:

    Muitos comentários válidos e interessantes, também conheço o Paraguay e não tem nada a ver com o que dizem aqui no brasil, muito pelo contrário. Se buscarmos bem no google, podemos encontrar em algum lugar listando o Brasil como o 3º MAIOR falsificador do mundo, perdendo apenas para China e um outro país que não me recordo seu nome, o Paraguay nem estava na lista.
    Entendam uma coisa de uma vez por todas, o Paraguay por ter baixas taxas de impostos, acaba sendo usado por vários países que vai pra lá fazer o comércio. (Ciudad del Este). Isso não esta em todo paraguay, é acentuado em Ciudad del Este e Ciudad del Este não é o Paraguay, existem ainda muitos outros lugares interessantes e bonitos para se conhecer, mas ressaltando que os produtos vendidos lá e falsificados não sao fabricados no país, e sim na china etc etc.
    Uma vez andando no centro de Assunção, capital do Paraguay vi vários “camelôs”, porém diferente do Brasil, eles vendiam arte, artigos em coro, etc já aqui no Brasil, falcificam até certificado entre VAAAARIAS outras coisas que estamos cansados de assistir na tv.
    GENTE, vamos cair na real e parar de tapar o sol com a peneira, os grandes falsificadores e CONSUMIDORES AO AR LIVRE de produtos falsificados (CD, ROUPAS ETC) somos nós brasileiros.
    Desculpem, mas a realidade incomoda, eu sei…

  30. Magno disse:

    O meu português não e bom, mas quero falar que o preconceito na imprensa brasileira existe, mas o povo brasileiro em si muitas vesses faz esse tipo de comentário sem parar pra pensar, eu mesmo sofri com isso. sou casado com uma brasileira faz 18 anos hoje, me tratam sem preconceito mas no começo não foi fácil, adoro o Brasil sempre viajo por Santa Catarina e Mato Grosso visitar os parentes, adoro esse povo que me deu a oportunidade de conhecer a mulher que amo, mais sempre e positivo falar y buscar melhorar os conceitos que temos dos nossos povos

  31. Maria da Gloria Celestino disse:

    Tudo de mal que falam do Paraguai, no Brasil, é porque realmente não conhecem o verdadeiro Paraguai. Paraguai país de gente honesta, alegre e extremamente educados. Por três vezes fui ao Paraguai passei um mês de estudo. Os professores posso afirmar são sérios e comprometidos com a educação. O Paraguai tem um índice de alfabetização maior do que o do Brasil e de sobre tem uma população bilíngue, isso é importante, do ponto de vista cultural. Vi para muitas livrarias o que prova que o povo é culturalmente rico. Além das belezas do país, igrejas do tempo dos jesuítas. Adoro o Paraguai e perto de mim ninguém deprecia esse povo e esse país.

  32. Evandro bs disse:

    Isso é cultural aqui infelizmente,( se algo é falsificado é paraguaio, se alguém não é inteligente é português, etc…) Vejo muitas discriminação com paraguaios e bolivianos e a esses como que eles fosse inferior aos restante dos sul americanos. As pessoas que conheço que foi ao Paraguai só conheceu o centro comercial de Ciudad del Este que é um caos e muito suja as ruas, segundo eles (não sei se mudou esta situação ) e acredita que todo país é assim. Mas ignorância não é coisa só dos brasileiros, todo lugar tem ideias erradas sobre um país.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s